Ecos da Lavagem do Bonfim: PDT e ACM Neto se destacaram na avenida

sábado, 15 janeiro, 2011

ACM Neto foi tietado durante todo o cortejo para o Bonfim

Em um ano pós-eleitoral, a Lavagem do Bonfim desta quinta-feira (13) não atraiu a mesma multidão das edições anteriores, mas o bom público que compareceu foi do nível de uma festa que consegue misturar o profano com o religioso.

Ao findar as pregações religiosas na Igreja da Conceição da Praia, os blocos partidários saíram a reboque do governador Jaques Wagner rumo à Igreja do Bonfim, num percurso de 8 km.

 

Wagner fala pouco

Preocupado com o tititi do seu futuro secretariado, Wagner não estava de muita conversa e a imprensa não teve tantas oportunidades para lhe fazer perguntas. Nem a história da Centel, que não quer mais divulgar a estatística da violência em Salvador, pode ser esclarecida.

 

Zezeu: pensar a longo prazo

Mas aqui e acolá algumas coisas vieram à tona. Um rápido encontro com o deputado federal Zezeu Ribeiro foi o suficiente para ele confirmar que será Secretário de Planejamento de Wagner. Indagado, respondeu. “Estão dizendo…”. E o senhor vai aceitar, vai trocar Brasília para ser secretário, por quê? “É para se pensar a Bahia a longo prazo”, disse, e caminhou.

 

PT e Pelegrino

O PT não fez tanto barulho como das outras vezes, mas veio com um bloco organizado para a Lavagem. Circulando no meio estavam o deputado federal Nelson Pelegrino e o vereador Henrique Carballal. Os dois já medem espaço dentro do partido para ver quem será o candidato ao Palácio Tomé de Souza em 2012.

 

Bloco do PDT

Se teve um partido que caprichou nesta Lavagem do Bonfim foi o PDT. Charanga, balões, bandeiras, militância, políticos e um criativo boneco gigante compuseram o cenário do bloco pedetista. Apenas a ausência do presidente Alexandre Brust, que, de última hora, não pode comparecer, a participação dos simpatizantes brizolistas foi bastante destacada.

 

Medrado

O deputado federal Marcos Medrado, já lançado pré-candidato a prefeito de Salvador para a próxima eleição, se comportou como tal. À frente do pelotão, ele seguiu quase todo o percurso ao lado do deputado estadual Roberto Carlos e de lideranças como os vereadores Alcindo da Anunciação e Cristovinho, além de Eduardo Rodrigues, Desidério Melo e outros.

 

Forte

Embora afirmasse que estava muito cedo para pensar 2012, Medrado não se desviou do foco. “O PDT é um partido muito forte. Quando ele sai para as ruas fica mais forte ainda. Eu estou muito satisfeito com tudo”, disse, entusiasmado com a presença da militância.

 

Boneco sensação

Mas o bloco do PDT também chamou a atenção pela presença de um boneco gigante, inspirado nos de Olinda, que representava o suplente de vereador Antonio Jaques. Além de ser identificado facilmente no meio da multidão, o boneco se transformou em um atrativo a mais na avenida. A todo instante as pessoas se aproximavam para tirar foto e gritos vinham das calçadas para saudar a passagem da ”coisa diferente.

 

ACM Neto

Outro que testou a sua popularidade durante o cortejo foi o deputado federal ACM Neto. Sem vinculação com o Democratas, ele convidou apenas seus amigos e aliados para percorrer o percurso. Junto com Neto estavam o senador ACM Júnior, os deputados federais José Carlos Aleluia e João Almeida, e os estaduais Tom Araújo, Bruno Reis e Herbert Barbosa.

 

Receptividade

Durante o tempo em que acompanhamos o deputado, a receptividade dada a ele foi impressionante. A todo o momento Neto era abraçado e beijado, recebendo e devolvendo os acenos vindos das calçadas e janelas dos prédios. A velha e inteligente estratégia do avô foi ligeiramente assimilada pelo neto. E a interação com o público foi perfeita.

 

Tietagem

Uma cena, contudo, nos chamou a atenção. Três mulheres, jovens, cercaram o deputado em um determinado trecho do percurso. Deu-se sequencia às cenas de beijos e abraços, como ocorrido em outros trechos deixados para trás. Foi que uma das jovens, ao ser retribuída pelos beijos, botou as mãos para o céu e abriu um sorriso do tamanho do mundo. E suspirou.

 

Borges e o PR

Ninguém estava só, ou melhor, nenhum partido estava sem pré-candidato. Nem o PR do senador César Borges abdicou disso. “Não sou candidato, mas nós estamos querendo ter”, disse Borges. Ao seu lado, o nome: o deputado federal Mauricio Trindade, que era seguido também pelo colega José Rocha e o deputado estadual Elmar Nascimento, além da ex-primeira-dama Tércia Borges, a charanga e militantes.

 

Ipiranga

No meio da festa, até o velho amarelo do Ipiranga foi ressuscitado. Sem trio, os ipiranguenses improvisaram um carro com três instrumentos em cima e saíram animando a Avenida. Valeu pelo resgate da velha tradição amarelo e preto.

 

Paz e surpresa

Para fechar, uma surpresa. A Lavagem deste ano foi de paz e muita tranquilidade. Prova disso se deu quando um policial precisou ultrapassar a barreira do público para seguir adiante. Nada de cotovelada nem empurrão. O homem de farda abraça o “irmão” da rua e pede passagem. O repórter, surpreso, cumprimenta o policial, que agradece e segue em frente.

 

Por Evandro Matos

 


“Passione”: Clara é a assassina de Saulo; novela bate recorde de audiência

sábado, 15 janeiro, 2011

A vilã Clara apareceu como a grande estrategista da trama

O último capítulo da novela “Passione”, que foi ao ar agora há pouco, encerrou o mistério sobre os assassinatos da trama.

Segundo dados prévios do Ibope, a novela deu à Globo 52 pontos –cada ponto corresponde a cerca de 60 mil residências na Grande São Paulo– e 75% de share (participação no número de televisores ligados).

Foi o maior share da novela desde o início da trama. O recorde de pontos de ibope ocorreu na última segunda-feira, quando a novela bateu 54 pontos.

A vilã Clara, vivida por Mariana Ximenes, apareceu como a grande estrategista da trama. Foi ela quem assassinou a facadas o personagem Saulo, interpretado por Werner Schünemann.

Clara também foi responsável por colocar a faca que usou no apartamento de Fred (Reynaldo Gianecchini), que acabou preso pelo assassinato.

Foi revelado que Saulo abusava dela desde criança, que foi oferecida a ele pela avó, Valetina (Daisy Lúcidi).

Os dois mantiveram uma relação desde então, e foi o empresário que a levou para trabalhar na casa dos pais.

Saulo foi também quem ordenou a Clara que ela administrasse remédios errados a Eugênio (Mauro Mendonça), o que ocasionou a morte dele.

A vilã termina em uma ilha do Pacífico, trabalhando novamente como enfermeira. Sobraram finais felizes para os demais personagens. Totó (Tony Ramos) casou com Juliana (Patrícia Pillar) e Gerson (Marcello Antony) com Felícia (Larissa Maciel).

Já as personagens Jéssica (Gabriela Duarte) e Agostina (Leandra Leal) chegaram a um acordo e terminaram as duas ficando com Berillo (Bruno Gagliasso). O último capítulo da novela será reprisado no sábado (15). Informações da Folha de S. Paulo.

Veja o vídeo do último capítulo:

http://www.google.com.br/url?q=http://www.youtube.com/watch%3Fv%3Dc8UCkA2l-i4&sa=U&ei=7ZQxTYntPMGs8AbL96y6CA&ved=0CB4QtwIwAA&sig2=SSiU-QynJglAzwsGePRG1g&usg=AFQjCNE9NFzcFUodAQfrd2u-E-RPNAWJMg