Que sinal foi dado quando o TRF absolveu Vaccari, revertendo decisão de Moro?

quarta-feira, 28 junho, 2017
Jornal do Brasil

O TRF entendeu que as provas eram insuficientes, por se basearem apenas em delações premiadas.

Se esta foi a decisão tomada com relação a um réu sobre o qual havia uma das maiores quantidades de denúncias, o que poderá acontecer com os outros, cujas acusações se baseiam apenas em suposições?

Que sinal foi dado quando o TRF absolveu Vaccari, revertendo decisão de Moro?
Que sinal foi dado quando o TRF absolveu Vaccari, revertendo decisão de Moro?

Este sinal pode estar mostrando que a falta de provas, não só neste processo mas em outras delações premiadas, certamente provocará decisões semelhantes de outros juízes.

Mostra que os criminalistas, quando abandonavam as causas dos delatores, tinham a certeza de que faltava a esses o que exige a lei: a prova.

Tags: absolvição, justiça, moro, mudança, vaccari

Mendonça vota a favor; Jutahy e Aleluia se opõem á PEC das Diretas

quarta-feira, 28 junho, 2017

por Ailma Teixeira

Jutahy e Aleluia se opõem à PEC das Diretas; Mendonça vota a favor

Fotos: Tiago Melo / Bahia Notícias / Montagem BN

Em meio à crise política que se instalou no governo de Michel Temer (PMDB), a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) da Câmara volta a discutir a “PEC das Diretas” na sessão desta quarta-feira (28). A discussão, que já dura semanas, foi interrompida após alguns deputados pedirem vista do parecer apresentado pelo deputado Esperidião Amin (PP-SC), que votou pela admissibilidade do texto. A opinião do relator é rebatida pelo deputado baiano José Carlos Aleluia (DEM). Para o democrata, a matéria não passa de “demagogia”. “Tenho trabalhado contra, vou trabalhar contra. O Brasil não está preparado agora pra fazer eleições”, pontua Aleluia em entrevista ao Bahia Notícias. O deputado federal é titular na comissão, assim como os baianos Félix Mendonça (PDT) e Jutahy Júnior (PSDB). Também contrário à proposta, o tucano lembra que foi constituinte e que, portanto, é a favor de que seja mantida a Constituição Federal. “A discussão é feita para que quando tiver uma crise, ela [a Constituição] seja um ancoradouro para o país. Você não fica mudando a Constituição pra lá e pra cá diante de cada crise”, critica Jutahy. Em outra corrente, há o voto de Mendonça, que faz oposição ao Palácio do Planalto. O pedetista ressalta que é a favor da Proposta de Emenda apresentada pelo deputado Miro Teixeira (Rede-RJ). O texto prevê eleições diretas para presidente e vice-presidente da República em caso de vacância desses cargos. No modelo atual, em uma eventual saída de Temer da Presidência, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), assume o posto por 30 dias quando devem ser convocadas eleições indiretas dentro do Congresso. Se a PEC for aprovada na comissão, a matéria ainda seguirá para apreciação no plenário da Câmara.

Bahia Noticias