Seminário discute sobre Educação Física, Capoeira, Processos Tecnológicos e Cultura Afro-Brasileira

quarta-feira, 25 outubro, 2017

Fotos: Liviane Barbosa e Cristiane Aragão/ Ascom IAT

Pesquisadores, estudantes, comunidade capoeirista e professores da rede estadual, estiveram reunidos nesta terça-feira (24/10), no Instituto Anísio Teixeira (IAT) durante o I Seminário Baiano de Educação Física, Capoeira, Processos Tecnológicos e Cultura Afro-Brasileira: todos na roda! O encontro promoveu debates sobre as manifestações culturais brasileiras e seu papel na formação da identidade do estudante da escola pública.

“O Instituto abre as suas portas para os capoeiristas e professores de Educação Física da Rede Estadual, buscando oportunizar debates e proposições que levem ao caminho do reconhecimento dessa arte, que precisa ser ampliado, fazendo com que ela esteja presente dentro das escolas, para que os estudantes possam construir a sua identidade a partir desses ensinamentos”, salientou o diretor-geral do IAT, Desiderio Melo.

 

Para o doutor em educação e mestre de capoeira, Odilon Góes, esse evento já traz um nome amplo, pois todos devem participar dessa discussão que envolve, sobretudo, a qualidade da questão cultural do povo brasileiro. “ Eu acho muito positiva a discussão desse seminário, em minha ideologia é algo progressivo de um movimento que é oriundo de um fenômeno cultural urbano, que teve abrangências para vários segmentos da sociedade. O seminário abre precedentes para diversas pautas, e acredito que nós estamos aqui imbuídos de colaborar com o progresso e a continuidade desse projeto”, destacou Odilon.

O presidente do Conselho Regional de Educação Física da Bahia, Paulo Cesar Lima, destacou que o seminário oportuniza a troca de ideias e criação de novas propostas.         “ A capoeira é cultura, é arte, é esporte. Sabemos que ela faz parte do contexto da educação física e do esporte. Então, eu acho que esse tema que traz bastante discussões, principalmente aqui na Bahia, que foi onde tudo começou”, destacou Paulo Cesar.

A programação do seminário ainda trouxe apresentação da orquestra de berimbaus regida pelo mestre Reginaldo, uma transmissão por videoconferência com o professor e mestre de capoeira, Michael Stagmeir, conhecido como Formando Bebê, direto da Alemanha, que faz parte do grupo de capoeira Costa do dendê, com sede em Taperoá/ Ba.

O evento contou também com o lançamento do livro “Mandinga em Manhattan” de Lucia Correia Lima (Jornalista, fotografa e escritora), e a apresentação de documentários do Cineasta Antônio Olavo sobre Capoeira.

Também participaram dos debates o cantor, compósito e mestre de capoeira Tonho Matéria, o jornalista Paulo Magalhães, o doutor e mestre de capoeira Neuber Costa, o mestre Jairo Francisco e o mestre Duda Carvalho, comprovando o sucesso do evento.

http://educadores.educacao.ba.gov.br/noticias/seminario-discute-sobre-educacao-fisica-capoeira-processos-tecnologicos-e-cultura-afro-bras