Manifestantes fazem protesto contra a reforma trabalhista em diversas capitais

sexta-feira, 10 novembro, 2017

Sindicatos apontam retrocesso em mudanças, que entram em vigor neste sábado (11)

Pela manhã, um carro foi incendiado na Ponte Rio-Niterói num ato de protesto, deixando o trânsito complicado no local. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou que manifestantes pararam o carro no quilômetro 322 Sul (Pórtico7), sentido Rio, atearam fogo ao veículo e deixaram o local de motocicletas. No local, havia uma faixa com os dizeres: “Podres poderes. Trabalhador resiste”.

Neste sábado (11), entra em vigor a reforma trabalhista, com novas regras para trabalhadores e empregadores. A reforma tem gerado polêmicas e questionamentos sobre a perda de direitos para os empregados, sobretudo em relação à mudança na qual o negociado entre patrão e empregado terá prevalência sobre o legislado, no caso sobre a CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas), conjunto de regras sancionadas em 1943 pelo então presidente Getúlio Vargas.

Em São Paulo, os manifestantes fizeram a concentração na Praça da Sé, no centro da cidade, e marcharam em direção à Avenida Paulista. A expectativa de organizadores do ato é que o público seja ainda maior no final da tarde.

“Nós queremos construir alguma coisa que seja equilibrada. Essa reforma é essencialmente empresarial, 117 artigos da cartilha empresarial. Nada contra os empresários, mas não tem nenhum artigo que tenha um foco social ou olhar sindical”, criticou o presidente da União Geral dos Trabalhadores (UGT), Ricardo Patah.

Segundo o dirigente sindical, a lei tem uma série de artigos que “tiram direitos e precarizam a relação entre capital e trabalho”. Entre os pontos apontados como mais problemáticos, Patah citou o trabalho intermitente e o fim da homologação das demissões pelos sindicatos.

O presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Vagner Freitas, disse que acredita na capacidade de mobilização dos trabalhadores para pressionar mudanças na legislação. “Mais do que nunca, acho que é possível construirmos uma grande greve. Fizemos uma com 35 milhões de pessoas, podemos fazer outra”, disse, em referência ao dia de paralisações realizado em abril.

Brasília

Na capital do país, cerca de 150 pessoas, segundo a Polícia Militar (PM), participaram de uma manifestação organizada pela CUT no Espaço do Servidor da Esplanada dos Ministérios pela manhã. Tanto a PM como os organizadores classificaram o movimento como pacífico. “Além disso, como não haverá deslocamento, não foi necessário usarmos maior efetivo”, disse o sargento Franklin Lima.

De acordo com o presidente da CUT-DF, Rodrigo Brito, a ideia é montar uma “tribuna popular para as pessoas apresentarem os pontos que consideram importantes para o enfrentamento que em breve deve ocorrer por conta da aplicação da reforma trabalhista e da proposta de reforma da Previdência que está em tramitação no Congresso Nacional”. Na manifestação, a central coleta assinaturas para um projeto de iniciativa popular que pede a revogação da reforma trabalhista e contra a subcontratação de trabalhadores.

Um outro ato, organizado pelas demais centrais sindicais, está previsto para o final da tarde. Segundo Brito o que levou à separação dessas manifestações foi a discordância sobre a obrigatoriedade da cobrança do imposto sindical. “Se é que podemos dizer que houve uma coisa boa nessas mudanças, foi exatamente o fim do imposto sindical, porque quem deve decidir se vai colaborar é o trabalhador, por meio de assembleias, e não o governo”, disse o dirigente da CUT.

Com Agência Brasil


Governo lança edital do concurso público para professores e coordenadores pedagógicos

sexta-feira, 10 novembro, 2017

 

O Governo do Estado da Bahia, por meio das Secretarias da Educação e Administração, lançou, nesta sexta-feira (10), o edital do concurso público para 3.760 vagas, sendo 3.096 para professores e 664 para coordenadores pedagógicos. As inscrições serão abertas, às 10h (horário de Brasília), às 9h na Bahia, da próxima terça-feira (14) e prosseguem até às 14h (horário de Brasília), às 13h na Bahia, do dia 12 de dezembro. As inscrições, no valor de R$ 100 para ambos os cargos, serão feitas exclusivamente, via internet, pelo site da Fundação Carlos Chagas, empresa responsável pela aplicação das provas.

O concurso foi anunciado pelo governador, Rui Costa, e pelo secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro, durante o Papo Correria, pelo Facebook do Govenador. “O concurso vem para preencher uma lacuna deixada pelo término do contrato temporário do REDA e pelas aposentadorias. Serão dois concursos em um, que vão acontecer na mesma data. O concurso será territorializado, como forma de fidelizar os professores na região que escolheu, promovendo um maior vínculo entre o profissional e a comunidade local”, afirmou Rui Costa.

O secretário Walter Pinheiro disse que o concurso será para 40 horas semanais e representa uma das ações estratégias que vêm sendo adotadas pelo Estado para fortalecer o eixo pedagógico nas escolas estaduais. “Este concurso é vem sendo esperado há muito tempo pelos educadores e o governador Rui Costa, mesmo diante da situação econômica do país, tomou esta decisão que fortalece o eixo pedagógico das escolas e, consequentemente, a nossa qualidade do ensino”, afirmou Pinheiro, ao destacar que a iniciativa Vai potencializando a oferta da Educação em Tempo Integral na rede. “A nossa meta é caminhar para uma escola que funcione o dia todo, com atividades culturais e cursos profissionalizantes. Daí a importância de termos professores com uma carga horária de 40 horas de dedicação à escola, bem como a presença do coordenador pedagógico em todas as unidades da rede estadual”, afirmou.

Oferta
As vagas para professores são para diversas áreas do conhecimento, como por exemplo, os com licenciaturas em Ciência Biológicas, Ciências Naturais, Ciências Humanas, Ciências da Sociedade, Filosofia, Artes, Educação Física, História, Artes, licenciatura interdisciplinar em Linguagens e Códigos e suas Tecnologias, Matemática ou licenciatura interdisciplinar em Matemática e Computação e suas Tecnologias, habilitação em Química oriundo de curso superior. Para coordenador pedagógico, é preciso ter curso de Pedagogia. Tanto para professor quanto para coordenador pedagógico é exigido diploma registrado de conclusão de curso superior de graduação, conforme estabelecido no edital, devidamente registrado, fornecido por Instituição de Ensino Superior reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC).

Remuneração
Para o cargo de professor padrão P, grau IA, a remuneração inicial é constituída pelo vencimento básico no valor de R$ 2.145,36, acrescido de Gratificação de Estímulo às Atividades de Classe, no percentual de 31,18% incidente sobre o vencimento básico, no valor de R$ 668,92, perfazendo um total de  2.814,28. Para o cargo de Coordenador Pedagógico, Padrão P,  grau IA, a remuneração inicial é constituída pelo vencimento básico no valor de R$
2.145,36, acrescido de Gratificação por Condições Especiais de Trabalho, no percentual de 34,75%, incidente sobre o vencimento básico, no valor de R$ 745,51, totalizando R$ 2.890,87.

Aplicação das Provas
O concurso terá três etapas. As provas objetivas (1ª etapa) e discursivas (2º etapa) serão aplicadas no dia 25/02/2018, para todos os cargos, no período da manhã, nas cidades de Alagoinhas, Amargosa, Barreiras, Bom Jesus da Lapa, Caetité, Eunápolis, Feira de Santana, Ipirá, Irecê, Itaberaba, Itabuna, Itapetinga, Jacobina, Juazeiro, Jequié, Macaúbas, Paulo Afonso, Ribeira do Pombal, Salvador, Santa Maria da Vitória, Seabra, Serrinha, Santo Antônio de Jesus, Senhor do Bonfim, Teixeira de Freitas, Valença e Vitória da Conquista. Somente será corrigida a prova discursiva dos candidatos habilitados e melhores classificados nas provas objetivas. A terceira etapa é a prova de títulos, para fins de pontuação dos candidatos habilitados na prova discursiva.

http://educadores.educacao.ba.gov.br/noticias/governo-lanca-edital-do-concurso-publico-para-professores-e-coordenadores-pedagogicos


Novembro Negro: CEEP Anísio Teixeira recebeu Tonho Matéria para debater cultura negra na Bahia

sexta-feira, 10 novembro, 2017

 

Fotos: divulgação
Esta quinta-feira (09) foi um dia diferente e lúdico para a comunidade escolar do Centro de Educação Profissional (CEEP) Anísio Teixeira, em Salvador. Estudantes e professores participaram de um seminário protagonizado pelo cantor e compositor Tonho Matéria, alusivo ao Novembro Negro, que esteve acompanhado pelo grupo de capoeira Mangangá.
“O maior objetivo deste projeto é incentivar o jovem a entender sua cultura matriz. Hoje dei uma palestra falando sobre os 30 anos do samba reggae, fazendo um link com a questão do racismo, preconceito e da sustentabilidade social, cultural, econômica e ambiental. Isto para que os jovens entendam que eles têm o dever de ser os novos protagonistas desta sociedade”, destacou Tonho Matéria, que já participou dos grupos Olodum e Araketu.
 
Segundo a diretora do CEEP, Verônica Lisboa Ramos, a atividade lotou o auditório e foi bastante dinâmica, contando com a palestra seguida de aula de capoeira, misturando samba de roda, samba reggae dança afro e poesia. “O Anísio Teixeira tem um trabalho muito forte em relação à discussão das questões raciais. A partir de 2016 decidimos que não ficaríamos resumidos a apenas um dia em relação ao Novembro Negro, mas um mês de reflexão e discussão, tanto do processo histórico quanto das políticas públicas”, disse.