Jogos Escolares – Bahia conquista 2 medalhas no último dia das modalidades coletivas

segunda-feira, 27 novembro, 2017
Foto: Marcus Carneiro
Com a vitória emocionante sobre a equipe do Ceará, por 8 a 7, as meninas do handebol, do Colégio Estadual Democrático Ruy Barbosa, em Teixeira de Freitas (extremo sul), conquistou medalha de bronze nos Jogos Escolares da Juventude – etapa 15 a 17 anos. A partida, que decidiu o terceiro lugar no pódio, foi realizada no sábado (25), em Brasília, último dia dos jogos. Na outra decisão, as meninas do futsal, do Colégio Integral, de Salvador, ficaram com o segundo luar e a medalha de prata, após perder para o time de Rondônia, por 5 a 2.
No total, nas modalidades individuais e coletivas, os estudantes baianos asseguraram 12 medalhas na etapa nacional dos Jogos – dois de ouro (judô), duas pratas (judô e vôlei de praia) e seis de bronze (judô, atletismo e luta olímpica). Pelas modalidades coletivas, prata no futsal e bronze no handebol. Somados os resultados, a Bahia foi superior aos anos de 2015 e 2016, quando conquistou 11 medalhas no total.
Organizada pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB), a competição aconteceu em Brasília, reunindo quase quatro mil atletas de todos os 27 estados do País. Toda a delegação da Bahia, dos jogos individuais e dos coletivos, viajou com apoio do Governo da Bahia, por meio da Superintendência dos Desportos do Estado da Bahia (Sudesb), autarquia da Secretaria do Trabalho e Esporte (Setre), que realizou a seletiva baiana e fretou avião para garantir mais conforto e agilidade no traslado das duas delegações, entre atletas, oficiais, fisioterapeuta, jornalistas, técnicos e professores.
Dez dias de muito esporte, cidadania e educação, onde estudantes de 1.360 colégios públicos e privados de todas as regiões do Brasil participaram da competição em 14 modalidades – atletismo, badminton, basquete, ciclismo, futsal, ginástica rítmica, handebol, judô, lutas, natação, tênis de mesa, vôlei, vôlei de praia e xadrez.
A medalha de bronze foi comemorada como se fosse ouro pelas meninas do interior baiano. Capitã e goleadora da equipe, Jhully Franco falou da emoção. “Foi difícil, foi suado. Estávamos perdendo por 6 a 2 e conseguimos empatar e virar. Ficamos em terceiro, mas com gosto de primeiro lugar. Tenho certeza que a cidade de Teixeira de Freitas vai se orgulhar de termos representado bem a Bahia”.
A medalha de prata do futsal teve um sabor amargo. As baianas, que vinham goleando suas adversárias, não conseguiram passar pela batalha final e foram derrotadas pela forte equipe de Rondônia, 5 a 2. “A gente sabia das dificuldades de enfrentar a equipe de Rondônia, que tem a artilheira de toda competição (Geisiane Fiorotti marcou 17 gols). Lutamos pelo ouro, mas não aconteceu. Estamos felizes de levar para a Bahia mais uma medalha. Isso mostra que o trabalho tem crescido e dado certo”, disse o treinador da equipe, Marcones Ribeiro.
Para 2018, os Jogos Escolares passarão por uma readequação. A etapa nacional da competição acontecerá em apenas uma cidade e reunirá as duas faixas etárias (12 a 14 e 15 a 17 anos).

Estudantes apresentam soluções sustentáveis para a Agricultura Familiar durante a FENAGRO 2017

segunda-feira, 27 novembro, 2017

Estudantes de cursos técnicos de nível médio da rede estadual de ensino estão participando da Bahia Rural Contemporânea – Feira Baiana da Agricultura Familiar, Economia Solidária e Reforma Agrária (VIII FEBAFES), que está sendo realizada até 3 de dezembro, no Pavilhão de Feiras do Parque de Exposição de Salvador, em paralelo a 30ª Feira Internacional da Agropecuária (Fenagro). Os estudantes apresentam projetos dos eixos tecnológicos em Recursos Naturais, Ambiente e Saúde, desenvolvidos em sala de aula. São tecnologias sociais, de baixo custo e de grande relevância, para aplicação no campo e que servem como alternativas de uso sustentável para a Agricultura Familiar.
Os experimentos dos estudantes estão sendo expostos na Feira Tecnológica, no Balcão de Tecnologias Sociais e Experimentos Populares da Agricultura Familiar, uma ação da Coordenação Executiva de Pesquisa, Inovação e Extensão Tecnológica (CEPEX), unidade da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), em parceria  com a Rede Baiana de Pesquisa, Ensino e Extensão em Agricultura Familiar e Desenvolvimento Rural Sustentável.
Tecnologias sociais – Uma destas experiências, o Minhocário: fortalecimento da produção orgânica no território do Sisal, vem do Centro Estadual de Educação Profissional do Semiárido (CEEP), em São Domingos, e foi desenvolvida pelos alunos dos cursos em técnicos em Agroecologia e Agropecuária. Com o projeto, as minhocas são utilizadas para a reciclagem de resíduos orgânicos, que resultam em fertilizante natural e em adubo orgânico de alta qualidade. Os estudantes do curso técnico em Agropecuária, do CEEP do Campo Paulo Freire, em Santa Luz, apresentam o ‘Aviário Móvel’, uma nova alternativa de criação agroecológica de aves para subsistência na Agricultura Familiar.
 
Os estudantes do curso técnico em Agropecuária, do Centro Territorial de Educação Profissional da Bacia do Rio Grande (CETEP), em Barreiras, expõem o projeto da ‘Biomassa de banana verde (Musa Spp.)’ como fonte alternativa de alimentação para as pessoas com intolerância ao glúten, a lactose, diabéticos, com colesterol elevado e deficiência na microbiota intestinal. A ideia é mostrar como o produto pode contribuir para o aumento da comercialização da biomassa in natura, tornando-a alternativa de renda para a Agricultura Familiar da região Oeste.
Orgânicos – Os alunos do curso técnico em Agropecuária, do CETEP da Bacia do Jacuípe, no município de Ipirá, apresentam o projeto ‘Moringa Oleifera: cicatrizante natural’. Neste projeto foi desenvolvida uma pomada a base Moringa Oleifera, com excelente resultado cicatrizante tanto em feridas humanas como de animais. Por ser de baixo custo e de fácil manipulação, a pomada se trona uma alternativa economicamente viável para os agricultores familiares.
Os estudantes do curso técnico em Agroecologia, do Centro Educacional Antônio Honorato (CEAH), em Casa Nova, desenvolveram o projeto “Cultivo de mamão orgânico com cobertura morta e consórcio com feijão de porco’. Na Bahia Rural Contemporânea, eles mostram como é possível desenvolver a produção de um composto orgânico, com esterco caprino e restos vegetais, que serve para nutrir as plantas orgânica, as hortaliças e frutas, dentre elas, o mamão de base sustentável.
Já os estudantes do curso técnico em Agropecuária do CETEP da Bacia do Rio Corrente, em Santa Maria da Vitória, apresentam o ‘Aerador sustentável para piscicultura em tanques escavados à base de energia solar’. O aerador sustentável funciona 24 horas por dia, mantendo a água oxigenada e o material particulado em suspensão, evitando a formação de zonas mortas dentro dos tanques de cultivo, aumentando a produtividade e reduzindo o custo.