Instituto Anísio Teixeira promove Aula Magna do CATE 2, com cerca de 1.900 professores inscritos

sexta-feira, 1 dezembro, 2017

Foi realizada nesta quinta-feira (30/11), a aula inaugural do Curso e Aperfeiçoamento em Tecnologias Educacionais – CATE 2, uma parceria entre  A Secretaria de Educação do Estado/ Instituto Anísio Teixeira (IAT) e a Universidade do Estado da Bahia (UNEB).

O evento aconteceu na sede do órgão, em Salvador, das 9h20 às 12h30, e tem como objetivo aprimorar a formação dos professores e coordenadores pedagógicos da rede estadual, buscando fortalecer a qualidade da educação básica no Estado da Bahia.

A Aula Magna foi proferida pela professora Jacqueline Leal, da Universidade do Estado da Bahia (UNEB) e da Rede Pública Estadual de Educação Básica. Durante a conferência ela trouxe a temática da Educação e Tecnologias e tratou da prática pedagógica, do fazer do professor em sala de aula e das tecnologias da Informação e Comunicação na educação.

A professora também abordou temas da chamada cibercultura, tais como a cultura tecnomeritocrática, a cultura hacker, a cultura comunitária virtual e a cultura empresarial. A professora Jacqueline contemplou na sua fala ainda conceitos que se preocupam com uma postura crítica diante das tecnologias como  perda ou exploração da privacidade, cibercrimes, pós verdades e fake news.

Coordenador de Educação à Distância do Instituto Anísio Teixeira, o professor José Renato Gomes de Oliveira explicou a importância do curso, que vai contemplar cerca de 1900 professores e coordenadores. “Na educação a distância ocorre uma oportuna quebra de paradigmas em que o papel do aluno e do professor deve ser ressignificados e novos hábitos devem ser adquiridos, como a autonomia, afiliação tecnológica e motivação, para que ocorra o ensino e a aprendizagem significativos”, destacou.

Autoridades prestigiaram

O evento contou com as presenças de autoridades como Desiderio Bispo de Melo (Diretor Geral do Instituto Anísio Teixeira), Professor Jader Albuquerque (Diretor da Universidade Acadêmica de Educação à Distância da UNEB), Marcelo Ávila (Pró-Reitor de Administração e Vice-Reitor eleito da UNEB), Deraldo Moraes (Cel da Policia Militar da Bahia), além de Marilene Bretas (vice-coordenadora da APLB) e Danilo Baqueiro (Diretor de Formação do IAT).

De forma objetiva o diretor geral do IAT, Desiderio Melo, saudou os presentes e agradeceu a celebração do convênio à direção da UNEB, aos secretários Manoel Vitório e Valter Pinheiro e desejou boa sorte aos professores e coordenadores que se inscreveram para o curso.

“Quero agradecer aos que colaboraram para que esse curso acontecesse, aos organizadores desse evento, e desejar boa sorte aos nossos professores, que terão a oportunidade de ampliar os seus conhecimentos, possibilitando melhoria nos seus salários”, pontuou.

O Professor Jader Albuquerque destacou as parcerias que a UNEB vem fazendo no Estado e se mostrou muito contente com a que foi celebrada com o Instituto Anísio Teixeira. O Coronel Sérgio Luiz Baqueiro dos Santos também destacou a parceria da Policia Militar com o órgão vinculado à Secretaria de Educação, citando o curso de Capacitação realizado no primeiro semestre. Já Marilene Bretas, da APLB, criticou o atraso do CATE 2, mas destacou vantagens e conquistas que a classe terá com o curso.

O Professor Emanuel do Rosário, UNEB explicou que “o CATE 2 será realizado na modalidade de Educação à Distância, com uso de uma estrutura tecnológica e metodológica que possibilitará aos participantes acessá-lo por meio de um ambiente virtual de aprendizagem”. Ele também respondeu perguntas vindas do público que ajudaram a tirar dúvidas, inclusive dando garantias sobre o sucesso do projeto.

O evento foi prestigiado também pelo secretário de Educação do Estado da Bahia, Walter Pinheiro, que reconheceu a sua importância e desejou boa sorte aos professores.

“Eu fiz um esforço para estar aqui e quero aproveitar para parabenizar o IAT e desejar boa sorte e todos”, destacou Pinheiro, que precisou sair mais cedo do evento devido a outros compromissos em sua agenda.

Mais informações do curso

Esta é a segunda edição do Curso e Aperfeiçoamento em Tecnologias Educacionais – CATE 2, celebrado através da Portaria Nº 325, de 18 de janeiro de 2017, cujo objetivo é aprimorar a formação dos professores e coordenadores pedagógicos da rede estadual, buscando fortalecer a qualidade da educação básica no Estado da Bahia.

O curso, com direito a monitor, terá dois módulos, exigirá nota 7 (sete) e 75% de frequência obrigatória por parte dos professores  e coordenadores inscritos. As aulas começam nesta sexta-feira (01 de dezembro de 2017, com interrupção no período de férias) e tem previsão de encerramento em setembro de 2018. (texto: Evandro Matos / Fotos: Roberta Rodrigues e Fabio Gonçalves).

http://www.interiordabahia.com.br

mais informações: http://educadores.educacao.ba.gov.br/


Ciro e Lupi defendem retomada do desenvolvimento nacional em Fortaleza (CE)

sexta-feira, 1 dezembro, 2017

 

A palestra realizada na noite dessa quinta-feira (30), em Fortaleza (CE), com o ex-ministro Ciro Gomes dentre os palestrantes, levou o público presente à refletir sobre o Brasil que realmente queremos e além de trazer o ânimo necessário para se combater esse verdadeiro desmonte nacional. E foi justamente com o objetivo de fazer o Brasil avançar, que o evento reuniu diversas lideranças, como o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, o governador Camilo Santana, o ex-governador Cid Gomes, o prefeito Roberto Cláudio, a vice-governadora pedetista Izolda Cela e o deputado federal André Figueiredo.

 

Ciro abordou diversas áreas que precisam de um olhar atento do brasileiro, mas destacou a necessidade de mudanças na economia para retomar o desenvolvimento nacional.

“A população está descrente da política, em função de tantas notícias de roubalheiras e do esmagamento dos trabalhadores brasileiros. Nosso povo está muito incrédulo se realmente existe alguma saída para sairmos do fundo do poço. É justamente um projeto para encontrarmos a saída que venho pregando Brasil afora. Nós precisamos recuperar a capacidade de planejar”, alertou o presidenciável.

De acordo como Ciro, os grandes empresários estão desindustrializando o País e acabando com nosso desenvolvimento.

“Isso é muito grave. O Brasil de 2017 está praticando a mesma atividade econômica de 2008. O nível de endividamento de famílias e empresas chegou a níveis alarmantes, graças a essa política de juros esmagadores. Hoje, 90% do sistema financeiro do Brasil é controlado por cinco bancos, que contam com toda a liberdade do governo para agirem ao bel prazer”, afirmou Ciro Gomes.

Em sua fala, Carlos Lupi reiterou que a candidatura de Ciro Gomes é irreversível.

“Estamos em um momento preocupante na política do Brasil. O Ceará é exemplo para o País e precisamos desse cearense competente, íntegro e corajoso para mudar o rumo do nosso país. Tenho a honra de anunciar a vocês que a candidatura de Ciro Gomes à Presidência da República é irreversível”, disse Lupi.

Também prestigiaram o evento, realizado no Marina Park Hotel, o presidente da Assembleia, Zezinho Albuquerque, o presidente da Câmara de Vereadores de Fortaleza, Salmito Filho, além de deputados federais e estaduais, prefeitos e vereadores.


Maia diz que governo está longe de ter votos para aprovar reforma da Previdência

sexta-feira, 1 dezembro, 2017

Jornal do Brasil

Na avaliação de Maia, nos últimos meses o governo perdeu força no Congresso, especialmente devido às denúncias da Procuradoria-Geral da República contra o presidente Michel Temer. “A gente sabe das dificuldades. A base do governo passou por duas votações de denúncia, com desgaste muito grande. Tem aqueles que, mesmo compreendendo a importância da votação, não confirmaram que podem votar com a matéria”, destacou. Para ele, falta apoio de partidos que integram o governo, como PSD e PR.

Maia diz que governo está longe de ter votos para aprovar reforma da Previdência
Maia diz que governo está longe de ter votos para aprovar reforma da Previdência

Em outubro, a Câmara rejeitou o prosseguimento da segunda denúnciaapresentada pelo então procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ao Supremo Tribunal Federal contra Temer, por obstrução de Justiça e organização criminosa. Em junho, Janot já havia denunciado o presidente pelo crime de corrupção passiva. A denúncia foi rejeitada em agosto.

Articulação

Para tentar conseguir os votos para aprovar a reforma, Maia disse que vai se empenhar, junto com o governo, nas articulações com os deputados. “Domingo o governo vai fazer uma reunião. Eu vou participar com os líderes, com os ministros e vamos tentar construir um caminho. A nossa responsabilidade no Brasil é muito grande. A reforma da Previdência, diferentemente do que a oposição vende, não tira nenhum direito do trabalhador pobre”, disse.

O presidente da Câmara atribuiu parte das dificuldades enfrentadas atualmente a erros de comunicação cometidos no lançamento da proposta. “Essa comunicação foi malfeita no início e de alguma forma contaminou a votação neste momento”, enfatizou.

Apesar do cenário desfavorável, Maia acredita que seja possível convencer os deputados a mudar de posição em pouco tempo. “O Brasil é um país em que as coisas mudam muito rápido: em um dia você tem uma visão de um tema, no outro dia muda tudo. Eu tenho uma esperança muito grande que a gente consiga reverter essa impressão das pessoas de que a Previdência vai tirar votos, vai prejudicar as pessoas que ganham menos”.

Oposição

Partidos de oposição, entre eles PT, PDT e PSB, anunciaram que estão em “estado geral de mobilização” e realizarão uma série de iniciativas em todo país contra a reforma da Previdência. Segundo o líder da minoria, deputado José Guimarães (PT-CE), a oposição não negociará nenhum ponto da reforma e também atuará para impedir que o governo aprove medidas provisórias enviadas ao Congresso Nacional.

“Essa PEC, mesmo com as migalhas que foram retiradas, na essência ela mantém a centralidade principal que é a retirada de direitos. Mesmo para aposentadoria rural não alterou praticamente nada. Esse estado de mobilização é fundamental até o dia que o governo anunciar que vai votar a reforma da Previdência”, disse. “Não há diálogo nenhum sobre a reforma da Previdência. Nós não negociaremos”, concluiu Guimarães.

Com Agência Brasil