Construção civil fecha 2017 em queda, mas empresários iniciam ano com otimismo

sábado, 27 janeiro, 2018

Agência Brasil

Em dezembro de 2016, o indicador fechou em 37,9 pontos. O indicador varia de 0 a 100 pontos. Acima de 50 pontos, a sinalização é de crescimento; abaixo de 50 pontos, a sinalização é de retração.

Condições financeiras

De acordo com a publicação, o indicador que mede as condições financeiras apresentou terceira alta consecutiva, porém continua abaixo da linha divisória dos 50 pontos. As altas apontam para “uma redução da insatisfação dos empresários quanto à margem de lucro e à situação financeira”.

“O índice de satisfação com a margem de lucro operacional aumentou de 34,4 para 37,0 pontos entre o terceiro e o quarto trimestre. Na mesma base de comparação, o índice de satisfação coma situação financeira passou de 39,1 pontos para 39,9 pontos”, diz o documento.

Sobre o acesso ao crédito, o indicador atingiu 30,7 pontos no quarto trimestre, 0,9 ponto acima do valor registrado no trimestre anterior. “A alta indica menor dificuldade das empresas em acessar crédito. O indicador varia de 0 a 100, valores abaixo de 50 indicam dificuldade no acesso ao crédito”.

Otimismo

Mesmo com as quedas em 2017, os empresários do setor estão otimistas para este ano.  O indicador de confiança dos empresários aponta para esse otimismo – passando de 56,7 pontos em dezembro de 2017 para 57,2 pontos em janeiro de 2018 – atingido maior valor desde fevereiro de 2013.

O indicador de Expectativas subiu de 60,5 pontos para 61,4 pontos de dezembro para janeiro. Já o indicador de Condições Atuais manteve-se estável em 49,1 pontos, abaixo da linha divisória de 50 pontos, “o que mostra piora das condições atuais”. “Os empresários do setor estão otimistas com relação ao futuro, mas ainda não percebem melhora nas condições correntes de seus negócios”, avalia a CNI.


PDT Diversidade realiza seu primeiro Congresso Estadual na Bahia

sábado, 27 janeiro, 2018


PDT Diversidade
25/01/2018

O PDT Diversidade realizou seu primeiro congresso estadual na última quarta-feira (24). Realizado na sede do partido, localizado no bairro da Mouraria, o evento contou com a presença do presidente municipal do PDT de Salvador, Aldo Queiroz, e de ativistas da causa LGBTI, sigla que designa lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e pessoas intersexuais.

O congresso trouxe para o debate temas de extrema relevância para esta população, tais como: o aumento da violência contra a população LGBTI, especialmente no estado da Bahia, a dificuldade de inserção desta população no mercado de trabalho e a garantia do direito de travestis e mulheres ou homens transexuais de usarem o nome social de acordo com sua identidade de gênero, conforme resoluções e normativas nacionais, além da morosidade nas retificações de nome judiciais.

Em uma participação via vídeo, a presidente nacional do PDT Diversidade, Amanda Anderson, explanou sobre a luta do PDT no enfrentamento para a edificação de direitos da população LGBTI. A líder também saudou os membros do movimento responsáveis pela encontro, que elegeram Vilma Bahia como presidente estadual do PDT Diversidade/BA.

Para o presidente Aldo Queiroz “mais do que respeitar as diferenças, é preciso debater a fundo as questões da população LGBTI com a sociedade. Nós do PDT entendemos que é obrigação de todos lutarem pela garantia dos direitos dessa parcela da população que sofre com o preconceito e se encontra constantemente ameaçada por todo tipo de violência e crueldade”.

Também estiveram presentes no evento, Tiffany Odara, pedagoga trans e ativista do Movimento Negro LGBT, Milena Passos, da Secretaria Estadual de Política Para Mulheres, Dennys Gomes, diretor do Grupo Gay da Bahia e Jackson Félix, do departamento LGBT de Lauro de Freitas.

http://www.pdt.org.br