Estão abertas as inscrições para o Prêmio Respostas para o Amanhã

terça-feira, 27 março, 2018

 

Estão abertas, até o dia 25 de junho, as inscrições para a 5ª e dição do Prêmio Respostas para o Amanhã. O prêmio é voltado para professores e alunos  do Ensino Médio de escolas públicas de todo o Brasil, com o intuito de integrar conhecimentos de disciplinas como Ciências, Matemática, Física e Biologia aos projetos inovadores em prol da sociedade e de suas comunidades. As inscrições devem ser feitas pelo site: https://respostasparaoamanha.com.br/
A iniciativa é realizada desde 2014 pela Samsung, com coordenação geral do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (CENPEC)  em vários países da América Latina. O prêmio já mobilizou mais de 106 mil estudantes, 7.300 professores de cerca de 3.321 escolas de todo o Brasil. Em 2017, dois projetos da rede estadual ficaram entre os 25 projetos vencedores regionais: o “Bioplástico da Banana Verde”, desenvolvido no Colégio Modelo Luís Eduardo Magalhães, em Itabuna, e o “Biosala: sala de Artes, Sala da Vida”, do Colégio Estadual Alaor Coutinho, em Mata de São João.
O principal objetivo do Prêmio é fazer com que os alunos, orientados por seus professores e em colaboração com seus colegas de turma, conheçam e identifiquem os problemas na comunidade para desenvolverem um projeto que contribua com uma solução simples e sustentável, melhorando o lugar onde vivem. Para os alunos, o Prêmio Respostas para o Amanhã é uma oportunidade de aplicar na prática todo o conhecimento trabalhado em sala de aula. Já para o professor, é uma chance para engajar e despertar no jovem o pensamento crítico e o protagonismo, lançando mão de novas formas de ensinar.
Em 2018, o Prêmio permanece com 25 projetos selecionados na fase inicial, a seleção regional. A segunda etapa é voltada a votação online aberta ao público, o Júri Popular, e a terceira, à seleção nacional pela banca julgadora. Os projetos serão pelos alunos com o auxílio de até três professores, sendo o professor coordenador obrigatoriamente da área das Ciências da Natureza ou da Matemática e disciplinas correlatas. Os grupos terão a seu dispor conteúdos como textos e vídeos educacionais, disponíveis no site do Respostas para o Amanhã, que abordam temas atuais e relevantes para a formação dos alunos.
A proposta pedagógica do Prêmio enfatiza a importância da temática da sustentabilidade na escola; o desenvolvimento da pesquisa no campo científico, articulando os conteúdos curriculares com as questões cotidianas; o engajamento das turmas em sua totalidade, valorizando o trabalho colaborativo e em coautoria com toda a classe e articulando escola e comunidade. Conforme a etapa de seleção, alunos, professores, diretores e escola são premiados.
Fonte: Ascom Cenpec

Morre Linda Brown, símbolo da luta contra a segregação racial nas escolas

terça-feira, 27 março, 2018

Jornal do Brasil

Linda Brown, uma norte-americana negra que, quando criança, motivou o julgamento que levou em 1954 à proibição da segregação racial nas escolas do país, faleceu aos 76 anos. “Ela é um exemplo da maneira como estudantes comuns estiveram na linha de frente para transformar este país”, escreveu na segunda-feira em um comunicado anunciando a sua morte Sherrilyn Ifill, da National Association for the Advancement of Colored People (NAACP).

“Linda Brown fez parte dessas jovens pessoas heroicas que, com sua família, lutaram corajosamente para acabar com o último símbolo da supremacia branca – a segregação racial nas escolas públicas”, acrescenta a responsável desta organização fundada em 1909 para defender a causa dos negros. “Não foi fácil para ela e nem para a sua família, mas seu sacrifício rompeu barreiras”.

Linda Brown (E) motivou julgamento que levou em 1954 à proibição da segregação racial nas escolas
Linda Brown (E) motivou julgamento que levou em 1954 à proibição da segregação racial nas escolas

Linda Brown tornou-se professora e ensinava piano, além de trabalhar com sua irmã na Brown Foundation, fundada em 1988 para continuar a luta contra a segregação racial.

Sessenta e quatro anos após a decisão histórica da Suprema Corte dos Estados Unidos em 1954 proibindo a segregação escolar – intitulada “Brown v. Board of Education” (Brown contra a secretaria de educação de Topeka) -, o país segue marcado pela discriminação, o racismo e tensões raciais.

Em 1951 Oliver Brown, que vivia na cidade de Topeka, no Kansas, tentou inscrever sua filha de 9 anos em uma escola próxima de casa, reservada aos brancos.

A pequena Linda foi rejeitada por sua cor de pele e obrigada a frequentar uma escola para negros, muito mais distante.

Na época, a maioria dos estados do sul tinham a opção de separar os estudantes negros e brancos.

O pai de Linda Brown levou o caso à Justiça, numa queixa coletiva, contra esta lei do Kansas que autorizava as cidades com mais de 15.000 habitantes de estabelecer escolar separadas.

Vitória emblemática

Este longo processo foi apoiado e liderado pela NAACP e concluído com uma de suas vitórias mais emblemáticas, tornando-se também um marco no movimento dos direitos civis: em 17 de maio de 1954, a Suprema Corte dos Estados Unidos julgou unanimemente que esta segregação escolar era contrária à Constituição.

Para Sherrilyn Ifill, esta foi a “decisão da Suprema Corte mais importante do século XX”.

‘Mas a decisão não acabou de forma instantânea ou indolor com as barreiras que dividiam nosso país”, observou em 2014 o secretário de Justiça, Eric Holder.

Em 1957, o presidente Dwight Eisenhower teve que enviar o Exército à escola de ensino médio de Little Rock, no estado do Arkansas, para permitir que estudantes negros entrassem na escola.

Para combater a segregação que perdurava mesmo após a decisão da Justiça, foi estabelecida uma política de transporte de estudantes para escolas em outros bairros (“busing”).

O governador de Kansas, Jeff Colyer, considerou no Twitter que “a vida de Linda Brown nos lembra que às vezes são as pessoas mais inesperadas que podem causar um impacto incrível e que, ao servir nossa comunidade, podemos realmente mudar o mundo”.

“A decisão Brown fez da América um raio de esperança para o resto do mundo, nos ensinou que através da lei poderíamos acabar com um sistema de castas baseado na raça e opressivo”, reagiu por sua vez a União Americana pelas Liberdades Civis (ACLU).

“Hoje prestamos homenagem a Linda Brown e a todas as lutas que temos para vencer”, acrescentou a organização.


“Eleger o Manoel Dias é prioridade de todo o PDT e do Ciro Gomes”, garantiu Carlos Lupi

terça-feira, 27 março, 2018

FLB-AP/ Bruno Ribeiro
Partido quer eleger mais de 40 deputados federais

“Eleger o Manoel Dias é prioridade de todo o PDT e do Ciro Gomes”, garantiu Carlos Lupi, presidente nacional do partido, durante reunião da Executiva Estadual de Santa Catarina. Realizada nesta segunda-feira (26), na sede do partido, em Florianópolis, o encontro foi liderado por Dias, presidente da sigla catarinense, e mobilizou parlamentares, movimentos, lideranças e pré-candidatos.

“A pré-candidatura única do Manoel Dias a deputado federal aqui, em Santa Catarina, é responsabilidade da Direção Nacional. É tão prioritária quanto a vitória do Ciro Gomes na disputa presidencial”, indicou Lupi, ao saudar a presença do deputado estadual, Rodrigo Minotto.

Lupi indicou ainda que esse projeto concretiza o relevante legado de Dias e o resgate do simbolismo do brizolismo. “Precisamos dele representando o Trabalhismo aqui e em Brasília”, completou.

Sobre a representatividade da escolha, Lupi foi enfático: “Ciro Gomes concretiza um sonho trabalhista que foi tão marcante para o nosso líder, Leonel Brizola”, exaltou.

Para Dias, os pedetistas precisam estar cada vez mais unidos, pois a realidade demanda de representações comprometidas com um projeto popular. “O momento exige um esforço maior de todos nós, principalmente na eleição para a Câmara federal, alertou o ex-ministro do Trabalho e Emprego.

“Para isso, lutamos por nomes trabalhistas. A atual legislatura confirmou ações para desmontar o Estado, a entrega das riquezas e o aniquilamento dos direitos sociais”, acrescentou Dias.

Vínculo nacional

“Com pré-candidaturas fortes em todo o país, que serão lideradas pelo Ciro Gomes, que disputará a presidência da República, o PDT pretende eleger mais de 40 deputados federais”, analisou Lupi, ao dizer que conta com o apoio de cada militante.

Sobre a projeção eleitoral, Manoel mostrou satisfação ao constatar o fortalecido cenário pedetista. “Como representante do campo popular, o PDT tem uma tarefa enorme. Vamos eleger quadros, liderados pelo Ciro Gomes, que permitam o restabelecimento de políticas públicas direcionadas para o povo brasileiro”, concluiu Dias.

http://www.pdt.org.br