Deputado do PSB diz que partido tem maioria para apoiar Ciro

Na segunda-feira, o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, realizou uma sondagem com os presidentes de todos os diretórios estaduais da legenda e, segundo Delgado, a maioria concordou que o melhor caminho seria apoiar Ciro. Em seguida foi feita uma consulta aos cinco governadores. Embora o governador de São Paulo, Márcio França, seja favorável ao alinhamento com o tucano Geraldo Alckmin, também entre os governadores do PSB prevaleceu na maioria dos casos a proposta de endossar o pedetista, segundo o deputado.

Júlio Delgado afirma que a maioria da legenda já se decidiu pelo apoio ao ex-ministro Ciro Gomes

Embora as consultas ainda tenham caráter informal, Delgado afirma que agora resta apenas submeter a decisão à Executiva Nacional e, em seguida, confirmar o acordo na convenção partidária. “Como os diretórios já concordaram, os governadores já concordaram e a Executiva já concordou, não há muito questionamento a ser feito”, afirmou Delgado.

O deputado mineiro confirmou também as negociações para que o PSB indique o vice de Ciro na eleição. Nesse caso, o partido trabalha com nomes como o de Márcio Lacerda, hoje pré-candidato do PSB ao governo mineiro. Na bancada pessebista, circula também o nome do deputado Luciano Ducci (PR) como sugestão para o posto de número dois na chapa.

Siqueira, por outro lado, disse nesta quinta-feira, 28, ao Estado que a consulta ao nome de Ciro foi feita de maneira informal durante uma reunião para tratar de outros assuntos. “Não tenho essa conta. Não sei de onde ele tirou essa maioria”, disse ele sobre a afirmação de Delgado.

De acordo com o presidente do PSB, o partido está num “momento de conversas” e o posicionamento em relação às eleições majoritárias não será definido neste momento. “Nem nos próximos 15 dias”, ressaltou. Segundo Siqueira, o PSB ainda conversa com outros partidos, como o PT.

Desculpas

Numa tentativa de atrair apoio do DEM, Ciro se comprometeu a pedir desculpas a integrantes do partido que se sentiram ofendido com suas declarações, e recebeu aceno de ao menos um deles.

O secretário-geral do DEM, deputado Pauderney Avelino (AM), que processa Ciro por injúria por ter sido chamado de “corretor de FHC” na suposta compra de votos para a reeleição, disse que aceitaria o pedido, com uma exigência: que seja pedido no mesmo ambiente público em que Ciro o atacou.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.