Tabata, o MBL e as pensões das viúvas

Desiderio de Melo*

foto gogle

O que tem em comum entre a deputada Tabata Amaral( PDT-SP), o MBL e as pensões das viúvas? Quem consegue responder a essas questões compreende o atual cenário político do País e a onda de radicalização do pensamento e ação liberal nas democracias do Brasil e do mundo.

Tabata expressa o pensamento da maioria  da  geração pós ditadura militar no Brasil. A mesma que pariu o MBL e fez do PSL o segundo partido mais votado do Brasil, ficando atrás, apenas do PT. Vale ressaltar que o PT governou o país por mais de uma década.  Mesmo sendo o partido mais votado para deputado federal,  a sua bancada foi reduzida de 100 para 59 deputados federais.  Foi essa geração que ocupou as ruas a partir de 2013, alavancou a onda liberal conservador e venceu as eleições de 2018.

Porque essa geração se identifica com ideias extremas é algo que carece de estudos mais abalizados, o certo é que eles venceram, A vitória por si só não garante a implementação de um  Projeto que tem como eixo a redução do tamanho do estado. É preciso ter um discurso coerente, unidade de pensamento e claro: o apoio da mídia. A mídia, ou a maior parte dela, apoia a onda liberal.  Chega ao cúmulo de responsabilizar a oposição pela aprovação da Reforma da previdência pela Câmara. Alegam que a oposição não foi capaz de construir um texto alternativo. Puro pirronismo, ceticismo, Pirro de Élida não teria feito melhor.

A primeira parte do projeto está resolvida, a Câmara aprovou a reforma da previdência. Mas, traz consequências, a partir de agora aqueles setores da sociedade que estiveram anestesiados começam a refletir sobre perdas e ganhos.  Era difícil pensar, raciocinar com a propaganda pró Reforma colocando a previdência como a causadora de todos os males do Brasil. O mundo real está de volta e será preciso repaginar o jornalismo do país. Duas noticias passam a disputar a atenção da audiência: o novo embaixador dos EUA, o filho nº2 do presidente Bolsonaro e a expulsão da deputada federal, por São Paulo, Tabata do Amaral.

Não vamos analisar o filho do presidente. O foco aqui é a expulsão de Tabata e o ceticismo dos liberais. Porque a provável expulsão de tabata interessa aos jornalões?  Penso que todos querem ter a resposta precisa. Na falta de uma explicação para a questão vamos analisar o PDT. Partido que por sua história e pela trajetória política do seu criador é algo mais palatável e possível de entender que a historia da deputada.

O PDT foi criado em 1980, pelo político e engenheiro gaúcho, Leonel de Moura Brizola. Brizola foi governador do Rio Grande do Sul e do Rio de Janeiro. Brizola também disputou a presidência do Brasil. Em 1989, por 500 mil votos perdeu para Luís Inácio Lula da Silva o direito de disputar o segundo turno das eleições presidenciais com Fernando Collor de Mello. Brizola ficou no terceiro lugar. Mesma posição que o candidato Ciro Gomes, também candidato elo PDT a presidente nas eleições de 2018. 30 anos depois, com a  voltado liberalismo, o mesmo resultado eleitoral. Será coincidência?

Eleito governador, pelo Rio de Janeiro, em 1982. Brizola também elegeu cerca de 50 deputados federais, sendo a maioria do Rio. Logo Brizola expulsaria 9 (nove) deputados, sendo  mais famosas as expulsões de Airton Soares e a da global deputada Bete Mendes. Até hoje não engolida nem por Merval nem pelos “Pereiras”  da imprensa do sudeste. Queremos com isso afirmar que o PDT, independente do mérito,  prever em seu Estatuto a expulsão por infidelidade partidária. Sempre agiu dessa forma com aqueles que rezam para dois credos. Então, porque o estranhamento. Dito de outra forma, porque a deputada,  assim como os jovens do MBL, também  não se filiou a algum dos partidos liberais, porque tanto interesse da mídia no episódio?

 

É difícil entender o que vai na cabeça de certas pessoas e na de seus patrocinadores. O melhora fazer ou a coisa mais fácil a ser feito, é nos analisarmos. Bom, a nossa analise conclusiva é a de que a deputada sabia que seria expulsa. No PDT sempre foi assim, eles tem lá as suas contradições, mas o seu regimento é claro: infiel fora.  Após as expulsões, inclusive, a dela.  A legenda  filia novos futuros expulsos,  Santanas, Mendonças e Gurgazes estão na mira,  vida que segue.

Como faltou espaço, no texto, e também para não alongarmos muito sobre o Tabatismo e a estratégia dos liberais. Voltaremos ao tema após  consulta aos melhores economistas e analistas sociais. na esperança de que possam clarear a nossa visão sobre os cortes nas pensões. falaremos então sobre as viúvas, como elas vão ter que viver, ou sobreviver,  com 594 reais. Alguém se importa?

*email: Desiderio.melo@bol.com.br

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.