Lançada Frente Parlamentar da Advocacia com 199 deputados

terça-feira, 20 agosto, 2019

 
1 / 10

Eugênio Novaes

Foi realizado, na tarde desta terça-feira (20), o lançamento da Frente Parlamentar da Advocacia, grupo que reúne 199 deputados federais na Câmara dos Deputados e é coordenada pelo deputado federal, Fábio Trad (PSD-MS). O grupo é resultado de articulação da OAB junto a congressistas e deverá trabalhar intensamente em defesa de projetos de lei de interesse da advocacia e da cidadania. Participaram do lançamento da frente o vice-presidente da OAB Nacional, Luiz Viana Queiroz, o secretário-geral, José Alberto Simonetti, o secretário-geral adjunto, Ary Raghiant Neto, o coordenador do Colégio de Presidentes Seccionais da OAB, Paulo Maia, a coordenadora de comunicação do CFOAB, Fernanda Marinela, o presidente da Comissão Nacional de Estudos Constitucionais, Marcus Vinicius Furtado Coêlho, presidentes seccionais e deputados federais de vários partidos.

“A casa das liberdades vem à casa do povo reafirmar o compromisso com a democracia, as liberdades e as prerrogativas da advocacia. A constituição de uma frente parlamentar da advocacia brasileira no Congresso Nacional é muito importante porque aqui poderemos discutir e conquistar novos direitos e novas prerrogativas, assegurando aos advogados e advogadas o exercício da sua profissão. A advocacia estará em diálogo permanente com os deputados e senadores mostrando a importância de ter homens e mulheres livres e independentes para fazer a defesa na sua mais ampla extensão. Queremos, portanto, cumprimentar o deputado Fábio Trad. Trazer o abraço do nosso presidente Felipe Santa Cruz junto com os diretores para dizer que temos um longo caminho a seguir, mas juntos iremos mais longe”, disse o vice-presidente da OAB Nacional.

Raghiant afirmou que o lançamento foi uma demonstração de força da advocacia. “Demonstra o respeito que a casa do povo tem para com esta que é a entidade das liberdades, a OAB. A partir de hoje, começamos um trabalho no sentido de ver aprovado no Congresso Nacional projetos que interessam tanto para a advocacia quanto para a sociedade brasileira. Fizemos a entrega da agenda legislativa 2019 e, a partir de amanhã, começamos a trabalhar com os parlamentares que compõem essa frente para que possamos evoluir e transformar leis em realidades para o bem da advocacia e para o bem do povo brasileiro”, declarou.

“A implementação da frente parlamentar da advocacia na Câmara dos Deputados trará à advocacia a segurança de que nossos temas terão debates justos, defendidos por quase 200 vozes na casa do povo. Temos no coordenador da frente, Fábio Trad, o guardião da esperança de melhores tempos para a advocacia brasileira”, apontou Simonetti.

O coordenador do colégio de presidentes seccionais da OAB destacou o caráter suprapartidário da OAB. “A contramajoritariedade, que é traço característico da advocacia, marca a coragem de homens como Raimundo Faoro, Sobral Pinto, que fizeram com que a OAB, não obstante seja também um conselho de classe, fosse algo a mais, porque é composta por esses homens que não baixam a fronte, que não esmorecem o semblante, mas que se colocam na frente de todo aquele, independentemente de qualquer viés, esteja suprimindo as liberdades, o direito de expressão e a vida em sociedade. O partido da OAB é o Brasil e sua ideologia é a Constituição Federal”, afirmou.

O deputado Fábio Trad salientou que “o momento é de ação”. “A Frente Parlamentar da Advocacia se constituiu hoje na Câmara dos Deputados com o objetivo primordial de defender de forma vibrante a Constituição Federal e os seus valores. Não será um espaço de entronização das demandas corporativas apenas, embora sejam sim importantes, mas também no plano institucional. A Frente Parlamentar não faltará com a advocacia brasileira e fará, na realidade, em forma de libelo constante, a defesa dos projetos de lei que visam a fortalecer as prerrogativas da advocacia. Unimos a advocacia pública e privada e assim fortaleceremos cada vez mais a nossa apaixonante profissão”, disse o parlamentar.

Compareceram ao lançamento da frente os presidentes seccionais Aldo de Medeiros Lima Filho (RN), Mansour Elias Karmouche (MS), Ednaldo Gomes Vidal (RR), José Erinaldo Dantas Filho (CE), Nivaldo Barbosa da Silva Júnior (AL) e Erick Venâncio (AL).

OAB Br.


Será a vez do Doido, ou seria plano B?

terça-feira, 20 agosto, 2019
A pesquisa recente realizada pela Paraná pesquisa colocou um “doido” na cabeça, para as eleições de 2020. O doido em questão é o sargento Isidoro, deputado federal (Avante), campeão de votos na última eleição. Isidoro também disputou as eleições de 2016, na capital. Na ocasião ele ficou em terceiro lugar ficando atrás  de ACM Neto e Alíce Portugal.  Que o Doido é bom de voto ninguém duvida, questiona-se, pelo menos na boca miúda, a força para superar o candidato de Neto( o atual prefeito, reeleito, não pode disputar a eleição). Surgindo daí a especulação de que Isidoro, Doido é ai, seria uma especie de Plano B do governador RuI Costa. Algumas questões ou argumentos servem para robustecer essa tese: a primeira delas aponta que sendo o governador do PT apoiará o candidato do partido. segundo, nos bastidores corre a informação que o martelo já teria sido batido para Belitani, presidente do Bahia Esporte Clube, como o principal candidato da base aliada do governador. Não estando descartado a possibilidade de apoio, eventual, ao presidente da Câmara de Vereadores de Salvador Geraldo Júnior, caso ele se viabilize como candidato a prefeito.
Achou o tabuleiro complicado? Nós também. Vamos tentar clarear: A eleição de 2020 terá pelo menos 10 candidatos a prefeito de Salvador. Isto se justifica em função do fim das coligações partidárias nas eleições proporcionais( de vereador). Sendo assim, os candidatos a prefeito, lançados pelos partidos, funcionarão como puxadores de votos para candidatos a vereador. Dai a possibilidade de tanto Rui quanto Neto ter de apoiar mais de Um candidato.
Por fim, e voltando ao doido, digo deputado sargento Isidoro, existe uma fala que pode ser a cereja do bolo na candidatura dele: a sugestão do senador. Isto mesmo, segundo Isidoro foi Otto Alencar que lhe sugeriu a mudança do slogan de campanha para “Doido por Salvador”. Considerando que o Senador é o principal aliado, senão o mais forte, fica corroborado a tese do plano B. Ou não. Afinal, o doido pode ter seu próprio plano. (Prof. Desiderio)
Veja matérias correlatas:

'Otto me aconselhou a dizer que sou doido por Salvador', diz Isidório após pesquisa

Foto: Reprodução / A Tarde

Primeiro colocado na pesquisa de intenção de voto para a prefeitura de Salvador em 2020, Pastor Sargento Isidório (Avante) relatou que foi aconselhado pelo senador Otto Alencar (PSD) a mudar o seu principal bordão. “Otto me aconselhou a não mais dizer que eu estava doido, mas que tinha ficado doido por Salvador”, disse Isidório. O parlamentar utiliza o adjetivo para se referir a sua atuação como político (lembre aqui). 

 

De acordo com Isidório, Otto teria tecido o elogio durante visita a fundação Dr. Jesus. “Otto disse que me achava maluco, mas que acreditou na minha competência de ser prefeito de Salvador após visitar a fundação”, garantiu. 

 

A segunda rodada de pesquisas realizada pelo Bahia Notícias em parceria com o Instituto Paraná Pesquisas aponta que o deputado federal do Avante lidera a corrida eleitoral de 2020 em Salvador em todos os cenários estimulados, quando são citados os nomes dos possíveis postulantes ao Palácio Thomé de Souza (veja aqui). 

 

“Quem está inaugurando obra é que deveria estar na frente. Mas tenho Deus como meu senhor”, falou Isidório. 

 

Em rotina de grandes inaugurações, o secretário de Infraestrutura de Salvador e vice-prefeito, Bruno Reis (DEM), aparece entre os citados da pesquisa, atrás de Isidório. Reis é lembrado como candidato de sucessão do prefeito ACM Neto (DEM). 

Bahia Noticias.

 

Pesquisa deixa no ar: agora é a vez do doido?

Foto: Max Haack/ Ag. Haack/ Bahia Notícias

Como se não bastasse o cenário distópico em que o Brasil é governador por Jair Bolsonaro (PSL) – algo improvável de ser pensado há alguns anos -, a pesquisa Bahia Notícias/ Paraná Pesquisas apontou a possibilidade de o deputado federal Pastor Sargento Isidório (Avante) poder ser eventualmente favorito para a prefeitura de Salvador. Falta muito tempo para a corrida eleitoral, porém essa “liderança” de Isidório, ainda que transitória, sinaliza que não vivemos em um país de amadores: quando você acha que não pode ser surpreendido, sempre é possível cair da cadeira.

 

Porém nem só os números gerais de Isidório no levantamento chamam a atenção. No cenário mais próximo da realidade, com uma pulverização de candidatos – e tendo o vice-prefeito Bruno Reis como candidato do DEM -, o pastor sargento lidera em estratos específicos. Ele aparece à frente entre os homens, com 19%, entre pessoas de 16 a 44 anos, que varia de 15,9% a 21,7%, e entre os eleitores apenas com ensino fundamental e médio, com variações entre 15,5% e 20,8%. É um sinal que o “doido” possui uma certa influência entre as camadas menos instruídas, público cujo impacto social da Fundação Doutor Jesus é mais facilmente perceptível.

 

O detalhamento do cenário 1, com 10 candidaturas, mostra também algumas curiosidades. O vice Bruno Reis aparece à frente entre pessoas entre 45 e 59 anos, com 14,3%, enquanto a deputada federal Lídice da Mata (PSB) lidera entre os maiores de 60 anos, com 19,7%. Não dá para identificar claramente as razões para que esses dois despontem nessas estratificações. No caso de Bruno Reis, os valores sugerem um empate técnico entre os demais candidatos. Já Lídice tem uma vantagem muito maior que a margem de erro, o que mostra certa cristalização do nome dela na faixa etária mais velha.

 

Há também certa proximidade entre os dois quando se trata de pessoas com ensino superior. Lídice seria opção para 16,9% desses eleitores e Bruno Reis para 15,9% – Alice Portugal (PCdoB) também aparece à frente de Isidório nesse escopo, o que mostra que o parlamentar do Avante reduz expressivamente a sua participação quando acontece o avanço na escolaridade. No caso da pesquisa divulgada ontem, não foi questionada a faixa de renda, apenas se é parte da população economicamente ativa, o que dificulta inferirmos se o pastor sargento seria mais popular entre os mais pobres.

 

Outros dois candidatos despontam em estratos específicos. Irmão Lázaro (PL) aparece em segundo lugar entre pessoas entre 16 e 24 anos de idade, com 12,3%. Como cantor gospel, o ex-deputado possui um alcance ampliado em redes sociais, por exemplo, o que explicaria esse percentual relevante. Já Guilherme Bellintani pontua bem entre homens, com 11,2%, atrás apenas de Isidório, Bruno Reis e Lídice, e aparece como opção para 1,3% das mulheres – parte disso explicável com a função dele junto ao Esporte Clube Bahia.

 

A pesquisa registra uma fotografia de um momento. Dificilmente esses cenários vão se manter até outubro de 2020. Contudo os dados dão alguns sinais de como os eleitores podem vir a se comportar nos próximos meses. Se nada mudar, terá chegado a vez do “doido”?

 

Este texto integra o comentário desta terça-feira (20) para a RBN Digital, veiculado às 7h e às 12h30. 

Do Bahia Noticias