Ministério Público Federal investiga procurador da Lava Jato

quinta-feira, 5 dezembro, 2019

O Ministério Público Federal abriu investigação, no âmbito do STJ (Superior Tribunal de Justiça), para apurar suspeitas de pagamentos ilícitos ao procurador Januário Paludo, um dos mais experientes integrantes da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba.

Macaque in the trees
O procurador Januário Paludo, da Lava Jato (Foto: Reprodução)

É a primeira investigação penal que tem como alvo um procurador da Lava Jato em Curitiba. A apuração partiu de um relatório da Polícia Federal, de outubro, sobre mensagens trocadas entre o doleiro Dario Messer e sua namorada. As mensagens citam uma suposta propina paga a Paludo para dar proteção ao doleiro.

O teor do relatório da PF foi revelado no sábado (30) pelo UOL e confirmado pela reportagem. O relatório da PF foi enviado à PGR (Procuradoria-Geral da República) para providências. Integrantes do órgão avaliaram o caso como gravíssimo.

A investigação criminal está a cargo do subprocurador-geral Onofre Martins, designado pelo procurador-geral da República, Augusto Aras, para oficiar perante o STJ.

Paralelamente, a Corregedoria do Ministério Público Federal instaurou sindicância ético-disciplinar sob responsabilidade da corregedora-geral, Elizeta de Paiva Ramos.

Dario Messer é um dos que devem ser ouvidos na investigação penal no STJ. Outros que acusam a Lava Jato de praticar desvios também poderão ser chamados, como o advogado Rodrigo Tacla Duran.

Os diálogos de Messer com a namorada, de agosto de 2018, foram obtidos pela PF em investigações que resultaram na operação Patrón, fase mais recente da Lava Jato fluminense.

Messer disse à namorada que uma das testemunhas de acusação contra ele teria uma reunião com Paludo, e acrescenta: “Sendo que esse Paludo é destinatário de pelo menos parte da propina paga pelos meninos todo mês”.

Para a PF, os “meninos” são Claudio Fernando Barbosa de Souza, o Tony, e Vinicius Claret Vieira Barreto, o Juca, suspeitos de atuar com o doleiro lavando dinheiro.

Paludo está na Lava Jato em Curitiba desde o início, em 2014. Já trabalhou em operações como o caso Banestado. É tido como conselheiro do procurador Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa, e próximo de Sergio Moro.

Parte das mensagens de Telegram obtidas pelo site The Intercept Brasil e noticiadas por vários veículos foi extraída de um grupo de procuradores batizado de “Filhos do Januário”, em referência a Paludo.

A reportagem procurou Paludo por meio da assessoria de imprensa do Ministério Público Federal no Paraná. O órgão reiterou o conteúdo de nota em que repudia as suposições contra o procurador.

“A ação penal que tramitou contra Dario Messer em Curitiba foi de responsabilidade de outro procurador que atua na Procuradoria da República no Paraná, o qual trabalhou no caso com completa independência. Nem o procurador Januário Paludo nem a força-tarefa atuaram nesse processo”, afirma o texto.

“Os procuradores da força-tarefa reiteram a plena confiança no trabalho do procurador Januário Paludo, pessoa com extenso rol de serviços prestados à sociedade e respeitada no Ministério Público pela seriedade, profissionalismo e experiência.” (Reynaldo Turollo Jr./FolhaPress)

LEIA AQUI:

DOLEIRO DOS DOLEIROS, MESSER FALA QUE PAGAVA PROPINA A PROCURADOR DA LAVA-JATO EM CURITIBA

Fonte: jb.com.br

Nosso comentário: Paludo pode muito bem ser mais um paloso. E agora o que dirá Dalangnol, alguma coisa não evidente?


Cid Gomes tira licença do Senado, assume o PDT e agita os bastidores da política cearense

quarta-feira, 4 dezembro, 2019

O parlamentar deixa o mandato temporariamente, por 120 dias. O primeiro suplente, Prisco Bezerra, irmão do prefeito Roberto Cláudio assume o mandato

Cid Gomes foi eleito nas Eleições do ano passado com 3,2 milhões de votosAgência Senado

Inácio Aguiar

O senador Cid Gomes (PDT) está se licenciando do cargo de senador por 120 dias. O afastamento começa no dia 11 de dezembro e é para tratar de interesses particulares, ou seja, ocorre sem remuneração. O suplente, Prisco Bezerra, que é irmão do prefeito de Fortaleza Roberto Cláudio (PDT), assume o cargo e será o novo representante do Ceará na Casa.

Inicialmente, a coluna havia informado que o pedido teria sido protocolado na manhã desta quarta-feira (4), entretanto, embora já esteja pronto, ainda não foi dada entrada no Senado, observa a assessoria do senador, ao confirmar a licença.

A decisão do parlamentar tem duas justificativas oficiais e gera grande repercussão na política cearense, pois ocorre no fim do ano pré-eleitoral, em que há muitas especulações a respeito das candidaturas do grupo político comandado por ele e pelo irmão Ciro Gomes, que já está de olho no pleito de 2022 para a Presidência da República.

A primeira justificativa é de que precisa tratar, de fato, de interesses particulares relacionados aos negócios. O segundo, e mais significativo do ponto de vista público, é reestruturar o partido na preparação para o pleito de 2020, que é estratégico para o grupo. Cid vai assumir a presidência estadual do PDT, em substituição ao deputado federal André Figueiredo, que ocupa o cargo há um bom tempo.

Com um mapa político debaixo do braço, Cid vai dar o start na estratégia do partido na Capital e no Interior, fazendo articulações e, inclusive, eventuais mudanças em diretórios municipais da legenda.

Fortaleza 

Especulado como candidato à Prefeitura da Capital, o ex-governador do Estado tem sido taxativo ao negar a possibilidade. E reforça, inclusive, que a licença do mandato não tem relação com essa possibilidade.

O PDT tem uma gestão bem avaliada na Capital, terá candidato próprio, mas o nome ainda não foi definido. Fortaleza, no cenário nacional, é prioridade para o partido.

Especulações 

A saída temporária de Cid Gomes agita os bastidores da política cearense pela liderança que o ex-governador exerce e num momento em que os liderados especulam, a todo momento, as estratégias para o ano que vem, em que o grupo político fará campanha tendo o governo federal como forte opositor.

Os rumos políticos do Estado e os próximos passos da estratégia do grupo governista foi tema que ganhou força nos bastidores do Poder cearense, desde que o próprio Cid passou a convidar amigos e líderes políticos e empresariais para o aniversário do irmão, prefeito de Sobral, Ivo Gomes, que vai ocorrer no próximo dia 13 de dezembro, na Serra da Meruoca, na região Norte.

Desde então, deputados estaduais e aliados passaram a especular que o evento poderia ser significativo do ponto de vista político por fugir do perfil discreto de Ivo. Alguns especulam até uma possível candidatura do irmão mais novo dos Ferreira Gomes na Capital – ele pode concorrer à reeleição em Sobral, berço político da família. Após o pedido de licença de Cid, aumenta a temperatura das especulações na política cearense.

Por Inácio Aguiar, 

Diario do Nordeste


Insatisfação do Congresso ameaça pautas econômicas de Guedes

quarta-feira, 4 dezembro, 2019

Sem conseguir contornar a insatisfação do Congresso, o governo de Jair Bolsonaro sofreu derrotas na área econômica nesta terça-feira (3) e tenta evitar revés em novos projetos de interesse do Palácio do Planalto.

Uma MP (medida provisória) perderá a validade, e uma outra -a do Emprego Verde e Amarelo- pode ser devolvida.

A medida tornava permanente a antecipação de parcela do 13º salário para aposentados e pensionistas do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social).

Mais um fracasso político para Bolsonaro, que queria sancionar uma lei para que, em todos os anos, aposentados e pensionistas recebam a antecipação de 50% do valor do benefício, entre agosto e setembro.

Antes da iniciativa de Bolsonaro, a regra permitia que o presidente escolhesse a data para o pagamento da parcela antecipada. A definição era feita por meio de decreto presidencial.

A equipe econômica já contabilizava essa derrota havia um mês por causa do desgaste na relação entre Congresso e Executivo.

Quando Bolsonaro assinou a medida, o Palácio do Planalto informou que a iniciativa liberaria R$ 21 bilhões para 30 milhões de aposentados e pensionistas em todo o país neste ano.

Esse pagamento já foi feito. A derrubada da MP, contudo, tem efeito futuro. O governo queria transformar a antecipação de parte do 13º benefício em lei e em prática permanente, que é uma agenda positiva, mas não teve apoio no Congresso.

O clima de rebelião ameaça ainda a votação da reforma da Previdência dos militares, no plenário do Senado, prevista para esta quarta (4).

A análise do projeto para endurecer as regras de aposentadoria das Forças Armadas, policiais militares e bombeiros dos estados pode ser adiada.

A proposta foi aprovada na manhã desta terça na CRE (Comissão de Relações Exteriores), mas está na mira da cúpula do Senado para, com o atraso, dar um recado político do desagrado na relação com a equipe de Bolsonaro.

Outro possível revés está ligado a medidas do ministro Paulo Guedes (Economia) para tentar estimular a geração de emprego no país.

O governo quer reduzir encargos sobre empresas que contratarem jovens. É a chamada MP do Emprego Verde e Amarelo.

Presidente do Congresso, o senador Davi Alcolumbre (DEM-AP) estuda rejeitar a proposta, derrubando imediatamente a medida provisória -sem nenhuma votação no Parlamento.

Interlocutores de Bolsonaro se reúnem com líderes da Câmara e do Senado, inclusive com Alcolumbre, para conter o clima de insatisfação. Congressistas reclamam que o governo não cumpre acordos.

Há cobrança para a liberação de emendas parlamentares prometidas para quem votou a favor da reforma da Previdência, que alterou regras de aposentadoria e pensão para a iniciativa privada e setor público.

Emendas parlamentares são formas de envio de recursos financeiros para obras nas bases eleitorais.

A expectativa é que o governo envie um projeto de lei que abrira crédito no valor de R$ 4 bilhões, para senadores, e R$ 1,6 bilhões, para deputados. A diferença de montantes tem causado conflito entre as duas Casas.

O governo também não enviou, dentro do prazo acordado, um projeto de lei para alterar a LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias). Essa proposta está em linha com o aumento do poder do Congresso para alocar recursos públicos, o chamado Orçamento impositivo.

Congressistas ouvidos pela reportagem dizem que foi feito um acordo com o governo para que a nova versão do texto chegasse ao Legislativo até esta terça. Sem a iniciativa do Planalto, a sessão conjunta do Congresso foi encerrada.

As pautas ligadas ao governo, portanto, correm risco de ficarem travadas.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), tenta ainda blindar o projeto de lei que facilita a entrada de empresas privadas no setor de saneamento.

Apesar de o governo ter interesse na proposta, Maia é um dos principais defensores da abertura desse mercado.

Até a noite desta terça, não havia ainda acordo para que o novo marco do saneamento fosse votado ainda nesta semana. Uma nova tentativa está prevista para esta quarta.(Thiago Resende e Thais Arbex/FolhaPress)

Imagem do Google

Nosso comentário: há insastifação do Congresso com Paulo Guedes. Há insatisfação contra o Congesso que vai além de Guedes. Há insatisfação com ministros sem cultura e sofrível nível de educação. Há insatisfação com o preço da carne, do gás e do feijão. Pra compensar há satisfação com o Recesso (deles), com a nova novela e um novo verão.


Livro sobre Raul Seixas é lançado dentro do 14º Fest Aruanda, na PB

terça-feira, 3 dezembro, 2019

Biografia do “Elvis brasileiro” é a segunda na carreira do jornalista Jotabê Medeiros

O esmiuçado trabalho rendeu o livro “Raul Seixas – Não diga que a canção está perdida” (Todavia, 2019), que Jotabê lança na próxima terça-feira (3), dentro da programação do 14º Festival Aruanda do Audiovisual Brasileiro. O lançamento será na Sala 9 do Cinépolis Manaíra Shopping, a partir das 1h30.

No livro, Jotabê mostra como o jovem sonhador, depois de “passar fome por dois anos na cidade maravilhosa”, conquista as gravadoras e o grande público e se torna responsável por versos que se confundem com a contracultura dos anos 1970, em músicas inesquecíveis. O artista que emerge dessas páginas pertence a um tipo particular de criador, capaz de imaginar, compor, atuar com líder de banda e, ainda, finalizar tecnologicamente o produto de sua criação.

Em 44 anos de vida, Raul Seixas deixou 312 canções registradas como composições suas, em gêneros tão distintos como tango, country, baião, samba, acid rock, iê-iê-iê, marchinha, forró, folk, braga, xote, xaxado e balada.

Jotabê Medeiros tem três décadas de profissão e já passou pelas redações da CNT/Gazeta, Veja São Paulo, Folha de S. Paulo e O Estado de São Paulo. Nascido em 1962, na Paraíba, ele também biografou outro grande nome da música brasileira, o cearense Belchior, no cultuado “Belchior – Apenas um rapaz latino-americano” (Todavia, 2017).

Agora, apresenta a primeira biografia de Raul à altura de sua importância. O jornalista também participa de um debate sobre o filme de encerramento do festival, “O Barato de Iacanga”, de Thiago Mattar, no dia 5, no Hotel Aram Beach & Convention, às 10h. (Fonte: Wscom).

http://www.interirodabahia.com.br


BAHIA: Léo Prates é mesmo pré-candidato pelo PDT

sexta-feira, 29 novembro, 2019

 Leo Prates com Aldo, Desiderio , Jeferson e Brizolinha

 

Durante a cerimônia de lançamento do livro BRIZOLA, UMA BIOGRAFIA POLÍTICA, dos autores Alexandre Brust e Nilton Nascimento, ocorrido na última quarta-feira na Assembleia Legislativa da Bahia. O Prof. Desiderio conversou com alguns cardeais do PDT baiano, dentre os quais o membro da executiva municipal e pré-candidato a vereador Aldo Queiroz, que conta com o apoio já declarado do presidenciável e vice-presidente nacional do PDT, Ciro Gomes, para conquistar uma cadeira na Câmara Municipal de Salvador. Ao questiona-lo sobre a filiação de Léo Prates e a sua eventual candidatura a prefeito de Salvador, Queiroz preferiu que o mesmo Prates respondesse. Nos apresentando ao secretário municipal e deputado estadual licenciado.

Confirmação

Muito à vontade entre os militantes da legenda brizolista, o secretário Prates foi muito simpático conosco, respondendo à pergunta do nosso Blog, confirmando tanto a filiação quanto a pré-candidatura a prefeito da Capital baiana.

Léo Prates informou ainda: “neste final de semana, sexta 29, viajo para Brasília onde me reunirei com Carlos Lupi e a direção nacional para acertarmos a data da filiação e lançamento da pré-candidatura, que deverá ocorrer nos próximos quinze dias.” Concluiu.

Secretário Geral

Também presente no evento da ALBA, o secretário geral do PDT nacional, o catarinense Manoel Dias conversou conosco. “O PDT terá candidatos na maioria das capitais e em mais de mil cidades brasileiras, estamos reorganizando e   reestruturando o partido de modo a fazer frente aos novos desafios impostos ao povo brasileiro. Em Salvador teremos as candidaturas de antigos companheiros e dos novos que estão chegando, dentre eles o secretário municipal Léo Prates. Uma liderança jovem, experiente e muito importante para a estratégia do partido para 2020.” Falou Dias confirmando que Prates  já é prata da casa, ou melhor do PDT.

Portanto, tá confirmado. Com Léo Prates o PDT baiano passa a ter duas pré-candidaturas: a do próprio Prates e a pré-candidatura de Vovô do Ilê.

Como fica, se haverá um bate chapa, ou será uma composição? Não sabemos. Assunto para outra edição. (Prof. Desiderio)


BAHIA: LEONEL BRIZOLA, UMA BIOGRAFIA POLÍTICA FOI LANÇADO HOJE NA ALBA

quarta-feira, 27 novembro, 2019

 

O livro Leonel Brizola, uma biografia política, volume 2, foi lançado na tarde desta quarta-feira(27) no salão nobre da Assembleia Legislativa da Bahia.

Autoria dupla

Feito a quatro mãos, a obra tem como autores  Alexandre Brust, advogado e político radicado na Bahia onde vive há mais de 40 anos, e do Jornalista baiano Nilton Nascimento. Livro faz parte de uma trilogia. No primeiro volume mostrou a história do menino pobre que teve o pai assassinado por razões política quando tinha menos de dois anos de idade, ele nasceu em 1922 na Cidade de Carazinho no Rio Grande do Sul, passou fome e frio aos onze anos de idade nas ruas de Porto Alegre. Estudou a noite, e trabalhou como ambulante durante o dia. Se elegeu vereador, deputado e o maior governador da história do Rio grande do Sul. O terceiro volume está pronto mas ainda sem data para ser lançado.

Neste segundo volume os autores analisam a trajetória do engenheiro e político Leonel Brizola a partir do golpe de 1964 até 2004, ano da sua morte. Desde a construção do golpe que derrubou o governo popular de João Goulart, a vida no exílio, o envolvimento com a guerrilha, “Operação Pintassilgo”, Três Passos e o Movimento Revolucionário Nacionalista. Brust e Nascimento, passeiam pela história do Brasil recente, mas também recontam e analisam o retorno de Brizola ao Brasil, a sua participação intensa no movimento das Diretas já em 1984, a eleição e o primeiro governo do Rio de Janeiro, a construção das escolas de tempo integral- CIEPS. A primeira disputa para presidente em 1989 quando ficou em terceiro lugar. O segundo governo do RIO, 1990 – 1994, o enfrentamento a Rede Globo, A segunda disputa para presidente da República, nova derrota sem perder rebeldia de sempre. É a história viva do Brasil recente, contada por quem testemunhou os principais fatos.

Jornalista Nilton Nascimento, um dos autores, autografou um livro para o prof. desisderio

O evento

Secretario Manoel Dias a esquerda do professor Desiderio, com Aldo e Danilo

O secretário geral nacional do PDT, Manoel Dias, esteve presente destacando a necessidade de se manter vivo os ideais e os princípios que nortearam a vida de Brizola. Convocou a militância trabalhista a enfrentar as dificuldades que o Brasil enfrenta nesse momento. Os jovens de hoje parecem envelhecidos, é preciso que conheçam a história de Brizola. Uma história de rebeldia, coragem e amor pelo Brasil”, pontuou.

Também participaram do evento o presidente da Assembleia Nelson Leal, que destacou na sua fala a importância das escolas de tempo integral construídas por Brizola e Darci Ribeiro. Participaram também os   deputados estaduais Léo Prates (licenciado), Roberto Carlos, Jurandir Oliveira, Targino Machado (líder da oposição) e a deputada Olivia Santana. Membros da Executiva estadual do PDT a exemplo de Aldo Queiroz, Eduardo Rodrigues e Danilo Baqueiro estiveram presentes, além da militância trabalhistas e admiradores de Brizola.


I Feira Literária de Canudos é encerrada ao som da Orquestra do Sisal

quarta-feira, 27 novembro, 2019

I Feira Literária de Canudos, no sertão da Bahia, foi encerrada no último domingo (24), após quatro dias de intensa programação.

Figuras como a de Antonio Conselheiro foram representadas durante o desfile das escolas

O evento começou na quinta-feira (21) com um desfile cívico das escolas pelas ruas da cidade com representações sobre a Guerra de Canudos e os seus principais personagens como Antonio Conselheiro e as expedições do Exército Brasileiro.

Banda de Pífanos de Canudos puxou o desfile pelas ruas da cidade
Orquestra Neojibá fez a apresentação de abertura do evento, na quinta-feira (21)

A sequencia do evento foi marcada por diversas atividades, com mesas de conversas, exposição fotográfica, exibição de filmes, apresentações teatrais e de grupos culturais como a Banda de Pífanos, além de shows musicais de artistas como Bião de Canudos, Fábio Paes e Gereba.

Mesa de Conversa: uma manhã inteira com debatedores de muito conteúdo
Bião de Canudos encerrou a primeira noite com um belo show

Concomitantemente às atividades que transcorriam no Espaço Edvaldo Boaventura, aconteciam também as visitas às barracas com produtos da região como artesanato de barro e couro, além de bebidas e comidas típicas. Considerado um dos espaços mais visitados da feira literária, a exposição de fotografias na área do museu também coube um destaque especial.

Espaço Edvaldo Boaventura e os estandes com produtos da região

Raramente se reúne num mesmo espaço trabalhos sobre a temática canudense como os de Flávio de Barros (único fotógrafo da Guerra de Canudos), Evandro Teixeira (consagrado fotógrafo do Jornal do Brasil), Antonio Olavo (cineasta e fotógrafo premiado), além de gravuras do artista plástico Trípoli Gaudenzi, e parte do acervo pessoal de José Aras.

O salão de exposição, com o fotógrafo Evandro Teixeira e o curador Luiz Paulo Neiva

“Fizemos um esforço muito grande para realizar essa Feira, e mesmo com um orçamento pequeno conseguimos trazer para debater Canudos pesquisadores e escritores consagrados, além de outras atividades que vão marcar esse evento. Eu vejo essa feira com muita perspectiva e acredito que, com as emendas parlamentares que já estão garantidas, no próximo ano ela será maior ainda. Nossa meta é inserir a Feira Literária de Canudos no calendário cultural do país”, declarou Luiz Paulo (Uneb), curador do evento.

Professora Luitgarde Cavalcanti, da UFRJ, trouxe vasto conhecimento para a feira

“Muito bom, muito interessante. Até o calor dá para suportar. É disso que o sertão precisa, valorizar a sua cultura cada vez mais, seus personagens, sua história. Estão de parabéns os organizadores”, disse Oleone Coelho Fontes, que veio para participar de uma mesa de conversa.

Cineasta Antonio Olavo conversa com o prefeito Geo durante a Feira Literária

Com múltiplas funções na Feira, o cineasta Antonio Olavo também fez a sua avaliação. “Para mim foi marcante, Luiz Paulo e a sua equipe estão de parabéns. Canudos precisa viver esses momentos históricos para que a sua memória não seja esquecida. Eu tenho certeza que a tendência é de o evento crescer, porque Canudos é a síntese da história do Brasil”, pontuou.

Últimos dias

Nos dois últimos dias da Feira Literária, o sábado (23) e o domingo (24), os visitantes ainda puderam ver muitas coisas importantes da programação.

Padre Wilson Andrade fala sobre “memória e desigualdades” de Canudos

A mesa de conversa sobre “Esquecimentos nos sertões: memória e desigualdades” foi uma das atividades de destaque no sábado. Sob a mediação de Luiz Paulo Neiva (Uneb), a mesa contou com participações do Professor Josemar Martins Pinzoh (Uneb), Padre Wilson Andrade (IPMC), Zulu Araújo (Fundação Pedro Calmon/Secult), Eldon Dantas Canário (pesquisador/escritor), além da professora Teresa Sacchet (Ufba).

A mesa de conversa sobre “Esquecimentos nos sertões: memória e desigualdades”

No sábado aconteceu ainda a mesa “Narrativas de Canudos: da história à ficção”. À noite, no Espaço Edvaldo Boaventura, aconteceu o momento do Cordel, Pífanos e Poesia, com o cordelista Antonio Barreto, o poeta José Américo Amorim e a Banda de Pífanos de Canudos.

Noite de cordel e poesia, com os poetas Barreto e José Américo Amorim
Gereba se apresentou no penúltimo dia da Feira Literária de Canudos

Quase fechando a programação do dia, aconteceu a apresentação musical “Retrato sonoro de Canudos”, com show de Gereba, que contou com boa interação do público. A partir das 23h houve a Virada Cultural no Mirante do Conselheiro.

O público prestigiou a feira literária todos os dias

Para encerrar a festa, no domingo, a partir das 7h, houve visita guiada aos pontos históricos e culturais de Canudos. E por volta das 11h a Orquestra Sisaleira de Conceição do Coité deu os últimos toques, deixando saudade naqueles que viveram os quatro dias da Feira Literária de Canudos.

Gereba e a Banda de Pífanos de Canudos: casamento perfeito

Por Evandro Matos – De Canudos, enviado especial (Fotos: Raimundo Laranjeira e Evandro Matos).

http://www.interiordabahia.com.br