Bem Vindo ao Blog do Professordesiderio

terça-feira, 11 janeiro, 2011

 


Programação do CARNAVAL de SALVADOR

sexta-feira, 21 fevereiro, 2020


Carnaval 2020 abre com Brown e pipocas de Eva, Bell, Harmonia, Cláudia, Léo e Psirico

quinta-feira, 20 fevereiro, 2020

 

Carnaval 2020 abre com Brown e pipocas de Eva, Bell, Harmonia, Cláudia, Léo e Psirico

Foto: Ag Haack / Bahia Notícias

Nomes de peso dão o pontapé inicial no Carnaval 2020 em Salvador nesta quinta-feira (20). A abertura oficial fica por conta de Carlinhos Brown, que havia ficado de fora da folia baiana no ano passado por sua própria vontade (entenda aqui e aqui). O cacique se apresenta ao lado do Movimento Percussivo Timbaleiro Drummers no Circuito Dodô (Barra-Ondina) a partir das 17h30.

 

Também na Barra, a festa é do folião pipoca, que contará com trios independentes de Banda Eva, Harmonia do Samba, Daniela Mercury, Claudia Leitte e Bell Marques. O Bloco Cheiro, com Cheiro de Amor, também volta à Avenida depois de três carnavais sem sair.

 

Já no Circuito Osmar (Campo Grande), Léo Santana e Psirico também comandam trios pipocas. Entre os blocos, também há apresentações de Xande de Pilares, É o Tchan, Tonho Matéria e Nelson Rufino, que terá participação de Dudu Nobre.

 

No Batatinha (Centro Histórico) se apresentam as bandas Arca Axé, Afro Idará, Kayala da Bahia e Jorge Garcia. Nesta quinta não há programação nos Largos do Pelourinho. Confira a programação completa:

 

CIRCUITO DODÔ – BARRA

17h30 – ABERTURA – CARLINHOS BROWN – Carlinhos Brown e Movimento Percussivo Timbaleiro Drummers
17h45 – TRIO INDEPENDENTE – Banda Eva
18h00 – TRIO INDEPENDENTE – Harmonia do Samba
18h15 – TRIO INDEPENDENTE – Daniela Mercury
18h30 – TRIO INDEPENDENTE – Mudei de Nome
18h45 – TRIO INDEPENDENTE –  Claudia Leitte
19h00 – TRIO INDEPENDENTE –  Bell Marques
19h15 – TRIO INDEPENDENTE – Katê
19h30 – BABY LÉGUAS – Kfuné
19h45 – TRIO INDEPENDENTE – Lincoln e Duas Medidas
20h00 – TRIO INDEPENDENTE – Rafa e Pipo
20h15 – SIRI COM TODI – Chica Fé
20h30 – FISSURA – Guga Meira
20h45 – YES/CHEIRO – Cheiro
21h00 – ALÔ INTER Babado – Novo
21h15 – TRIO INDEPENDENTE – La Furia
21h30 – OS MASCARADOS – Margareth Menezes
21h45 – TRIO INDEPENDENTE – Chiclete com Banana
22h00 – TRIO INDEPENDENTE – Denny Denan
22h15 – TRIO INDEPENDENTE – O Poeta
22h30 – TRIO INDEPENDENTE – Solange Almeida
22h45 – TÔ LIGADO – Patrulha do Samba
23h00 – SURF REGGAE – Lula Ribeiros e a Orquestra de Reggae
23h15 – BIG BLOCO DO GUETHO / EU AMO OS ANOS – 80 – Máquina do Tempo
23h30 – NOVA SAGA – Makonnen Tafari
23h45 – TRIO INDEPENDENTE – Ara Ketu

 

CIRCUITO OSMAR – CAMPO GRANDE/AVENIDA

 

18h00 – TI LÉO SANTANA (BT) – Léo Santana
18h15 – TI PSIRICO (BT) – Psirico
18h30 – A MULHERADA – Banda A Mulherada Afro Percussiva
19h00 – TRIO COMCAR
20h00 – TRIO ARMANDINHO DODÔ E OSMAR e REI MOMO – Banda Armandinho, Dodô e Osmar
20h30 – ALERTA GERAL – Xande de Pilares, Délcio Luiz, Miudinho
21h00 – PAGODE TOTAL – É o Tchan / Molejo / Salgadinho / Banda Pagode Total
21h30 – BLOCO DA CAPOEIRA – Tonho Matéria
22h00 – BANKOMA – Bankoma
22h30 – AMOR E PAIXÃO – Nelson Rufino, Batifun, Fora da Mídia e a participação de Dudu Nobre
23h00 – PROIBIDO PROIBIR
23h30 – TI PARANGOLÉ (BT) – Parangolé
23h45 – FOGUEIRÃO – Jorge Fogueirão, Samba Comunidade, Alan Dudu e Samba dos Neguinhos
00h15 – SAMBA & FOLIA
00h45 – TI NATA DO SAMBA (BT) – Nata do Samba
01h15 – AFRO REGGAE BAHIA
01h30 – SAMBA TERRAMAR – Banda K Entre Nós / Grupo SPM

TRIO COMCAR – Praça Castro Alves

 

CIRCUITO BATATINHA 2020 – CENTRO HISTÓRICO

 

20h00 – EXPRESSÃO NEGRA – Nildes Vieira e Expressão Negra
20h15 – ARCA DO AXÉ – Banda Arca Axé
20h30 – BLOCO IDARÁ – Banda Afro Idará
20h45 – ARAIYE Banda – Araiye
21h15 – KORIN EFAN – Banda Korin Efan
21h30 – KAYALA DA BAHIA – Banda Kayala da Bahia
21h45 – MALCOM X – Banda Palafitas / Jorge Garcia
22h00 – DARAJU DE ODE – Jorge Garcia
22h15 – NOVA FLOR – Banda KEBRA NAGAST
22h30 – CABEÇA DE GELO
22h45 – BOKA LOUKA – SAMBA DE RESPOSTA
23h00 – OMINIRA – Banda Jorge Garcia / Banda Ominirá
23h15 – TAMOIOS
23h30 – QUESTÃO DE GOSTO
23h45 – SÓ SAMBA DE RODA
24h00 – SKA REGGAE
00h15 – QUINTAL DO SAMBA


BAHIA: Setores do PP e PSD avaliam apoio a Prates, o que criaria porta de saída para Bruno mais à frente

quarta-feira, 19 fevereiro, 2020

EXCLUSIVAS

Aparentemente escanteado do lado de ACM Neto, depois que assumiu o que muitos chamam de aventura de deixar o DEM para se filiar ao PDT, o deputado estadual licenciado e secretário municipal de Saúde, Leonardo Prates, pode ganhar um up em sua pré-candidatura à Prefeitura de Salvador, pelo menos por enquanto.

Setores do PSD e PP, que têm como pré-candidatos, respectivamente, o senador Angelo Coronel e o deputado estadual Niltinho, passaram a avaliar uma aproximação com o aliado do prefeito de Salvador pensando numa eventual composição para a sucessão municipal.

Pelas projeções feitas até agora, um dos cenários pensados implicaria na decisão de Coronel e Niltinho de abrirem mão de suas pré-candidaturas para apoiar Prates que, em contrapartida, incorporaria um candidato a vice indicado por ambos.

O nome cogitado até o momento é o de Eleuza Coronel, mulher do senador, que, segundo pesquisas internas da pré-campanha dele, tem despontado com um nível de musculatura, também segundo avaliações do grupo, capaz de robustecer, principalmente na área social, a postulação de quem apoiar.

A operação, que ainda deve ser colocada sob análise direta dos pré-candidatos do PSD e do PP, teria entre seus entusiastas o deputado estadual Cacá Leão, filho do vice-governador João Leão, que tem trânsito livre também do lado do prefeito ACM Neto e é identificado, tanto na situação quanto na oposição, como amigo pessoal de Prates.

Em conversas com deputados em Brasília, Cacá não nega que considera a composição politicamente viável, pontuando que não traria dificuldades de relacionamento com o governador Rui Costa (PT), porque o próprio PDT a que Prates se filiou pertence à base política do petista.

Ele admite, no entanto, que, para ser efetivada com sucesso, no entanto, teria que contar com o aval dos pré-candidatos Niltinho e Coronel, que passaram a se movimentar tanto politicamente quanto entre lideranças populares desde que foram escolhidos como representantes de suas respectivas legendas à sucessão.

Prates, centro, ganharia mais musculatura com adesão a sua candidatura de PP e PSD

 

Para os defensores da operação, a possibilidade de, no limite da campanha, Prates renunciar à própria candidatura para apoiar o pré-candidato do DEM, Bruno Reis, de quem sonha ser candidato a vice, estaria longe de representar um problema.

Pelo contrário, como diz um parlamentar do bloco, se acontecer, o entendimento se constituiria numa oportunidade de “ouro” para a construção de uma porta de saída, na sucessão municipal, para o PSD e PP, que teriam justificativa para também apoiar, neste momento, o candidato do prefeito ACM Neto.

Fonte: http://www.politica livre .com.br


Procuradorias federal e do TCU cobram governo por fila no Bolsa Família

sábado, 15 fevereiro, 2020

Jornal do Brasil

Apresentado como novo ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni assume o cargo sob ofensiva do Ministério Público para que o governo apresente medidas contra o enxugamento do Bolsa Família.

Após o jornal “Folha de S.Paulo” revelar que o presidente Jair Bolsonaro travou o programa em cidades pobres e que a fila de espera chegou a 1 milhão de famílias, o Ministério Público montou uma operação para cobrar respostas do governo.

O time de Bolsonaro tem adotado a linha de se esquivar quando questionado sobre os cortes no programa de transferência de renda.

Reconhecido internacionalmente, o programa atende famílias com filhos de 0 a 17 anos e que vivem em situação de extrema pobreza, com renda per capita de até R$ 89 mensais, e pobreza, com renda entre R$ 89,01 e R$ 178 por mês. O benefício médio é de R$ 191.

Na quarta-feira (12), o MFP (Ministério Público Federal) pediu ao Ministério da Cidadania informações das medidas a serem adotadas para garantir o atendimento de todas as pessoas que têm direito ao benefício.

O prazo de resposta termina na próxima semana.

Autora do pedido de informações, a procuradora federal dos Direitos do Cidadão, Deborah Duprat, argumenta que a erradicação da pobreza está prevista na Constituição Federal.

O MPF foi acionado pelo deputado Ivan Valente (PSOL-SP) que tenta obter informações sobre os cortes no Bolsa Família desde outubro.

Congressistas têm a prerrogativa de solicitar explicações ao governo por meio de requerimentos chancelados pela cúpula da Câmara.

O governo é obrigado a responder e tem um prazo para isso. Porém, o Ministério da Cidadania tem se recusado a abrir os dados sobre a fila de espera, que se forma após 45 dias sem resposta para o pedido do benefício.

Por isso, o deputado relatou ao MPF a falta de transparência e obstrução no acesso a dados públicos do programa.

A reportagem sobre os problemas enfrentados pelo Bolsa Família sob gestão de Bolsonaro também motivou o Ministério Público no TCU (Tribunal de Contas da União) a agir.

“Os fatos noticiados denotam inadequado planejamento governamental no cumprimento do dever estatal de atuar no sentido de aplacar a grave situação das camadas mais pobres e sofridas da população brasileira”, argumenta o subprocurador-geral que atua no órgão Lucas Rocha Furtado.

Ele pediu ao TCU a abertura de um processo de auditoria. O caso ainda terá de ser analisado por ministros do tribunal.

Um dos pontos levantados é a redução do orçamento do Bolsa Família para este ano em relação a 2019, quando já houve uma queda na cobertura do programa e o ressurgimento da fila de espera.

Sem dinheiro para o Bolsa Família, o governo passou a controlar a entrada de novos beneficiários desde o segundo semestre do ano passado.

Para 2020, o governo Bolsonaro reservou R$ 29,5 bilhões -no ano passado, foram desembolsados R$ 32,5 bilhões.

Os ministérios da Cidadania, da Economia e a Casa Civil discutem há meses uma proposta de reformulação do programa, o que também deve elevar a verba para o Bolsa Família.

Sem consenso, esse anúncio é sucessivamente adiado.

As tratativas começaram ainda com Osmar Terra, que deixará o comando do Ministério da Cidadania e será substituído por Onyx. Terra voltará para a Câmara dos Deputados.

Os dois defendem mudança de nome do Bolsa Família e a injeção de mais recursos no programa. Mas a ampliação da verba esbarra em um Orçamento federal apertado.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, tenta convencer o governo a fazer mudanças mais modestas no programa social.

Por isso, o aumento do orçamento do Bolsa Família debatido no governo tem uma margem muito ampla, variando de R$ 2 bilhões a R$ 10 bilhões. (Thiago Resende/FolhaPressSNG)


Repórteres da Veja que apuravam morte de miliciano são detidos pela polícia da Bahia

sexta-feira, 14 fevereiro, 2020

Jornal do Brasil

Os jornalistas Hugo Marques e Cristiano Mariz, da revista Veja, foram detidos e conduzidos a uma delegacia pela Polícia Militar da Bahia na manhã desta sexta-feira (14).

Os repórteres estavam na cidade de Pojuca (a 90 km de Salvador), onde investigavam as circunstâncias da morte do miliciano Adriano da Nóbrega, ligado ao senador Flávio Bolsonaro e morto em uma ação policial no último domingo (9) em Esplanada (a 170 km da capital baiana).

De acordo com o relato dos repórteres da Veja, eles estavam a caminho de uma das fazendas do pecuarista Leandro Guimarães quando foram cercados por duas viaturas da polícia.

A intenção dos jornalistas era tentar entrevistar Leandro, fazendeiro que hospedou o miliciano por cerca de uma semana antes de ele seguir para o sítio do vereador Gilsinho de Dedé (PSL), onde acabou morto ao ser alvo de operação policial.

Mesmo após se identificarem como repórteres, os jornalistas foram revistados pelos policiais com armas em punho. Um dos soldados teria indagado por várias vezes: “Como é que vocês descobriram esse endereço?”

Em seguida, um policial apreendeu o gravador de um dos repórteres, no qual haviam sido gravadas diversas entrevistas da apuração sobre o caso. Eles ordenaram que os jornalistas os seguissem para uma delegacia no município vizinho de Pojuca.

Os jornalistas ficaram cerca de 20 minutos na delegacia, onde foram liberados. O gravador foi devolvido.

O episódio com os jornalistas ocorreu um dia após a revista ter revelado imagens do corpo do ex-capitão da Polícia Militar do Rio de Janeiro, indicando que ele teria sido morto com tiros disparados a curta distância, versão negada pela Secretaria de Segurança Pública da Bahia.

A publicação teve acesso a fotos feitas após a autópsia do ex-policial que mostram que ele também tinha um ferimento na cabeça e uma marca vermelha no lado esquerdo do peito.

Em nota, a revista Veja disse lamentar a “postura autoritária” da Polícia Militar da Bahia e afirmou que a direção da Editora Abril “estuda as medidas cabíveis contra essa atitude de tentar constranger e limitar o trabalho da livre imprensa”.

“A direção da redação de Veja, por sua vez, como sempre fez ao longo de seus mais de cinquenta anos de história, não vai se intimidar com ameaças e medidas arbitrárias -e seguirá firme no seu compromisso de busca da verdade, doa a quem doer”, diz a nota.

A Secretaria da Segurança Pública da Bahia, ligada ao governo Rui Costa (PT), afirmou que moradores de uma localidade em Pojuca ligaram para a polícia informando que homens estavam rondando a região.

“A Polícia Militar foi acionada, abordou o grupo e fez a condução até a Delegacia Territorial. Após se identificarem como jornalistas, foram liberados. Nenhum equipamento foi danificado, alterado ou ficou apreendido”, disse, em nota, a secretaria.

Apontado como chefe de milícia no Rio, Adriano morreu baleado com dois tiros, de acordo com a Secretaria da Segurança Pública da Bahia. As perfurações causaram lesões no tórax, no pescoço e na clavícula, além de quebrar sete costelas.

Homenageado duas vezes na Assembleia Legislativa do Rio pelo hoje senador Flávio Bolsonaro, Adriano é citado na investigação que apura a prática de “rachadinha” (esquema de devolução de salários) no gabinete do filho do presidente Jair Bolsonaro. O miliciano teve a mãe e a mulher nomeadas para cargos quando Flávio era deputado estadual no Rio. (João Pedro Pitombo/FolhaPressSNG)


Prates diz que quer debater projeto para Salvador antes de definir alianças por Ailma Teixeira / Rodrigo Daniel Silva

sexta-feira, 14 fevereiro, 2020

Prates diz que quer debater projeto para Salvador antes de definir alianças

Foto: Ailma Teixeira / Bahia Notícias

Filiado nesta semana ao PDT, o secretário municipal de Saúde, Leo Prates, afirmou que quer debater um projeto para Salvador antes de tratar sobre alianças. O titular da Saúde sonha em ser candidato ao Palácio Thomé de Souza, mas esbarra no desejo do prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), de ter o vice-prefeito Bruno Reis (DEM) como postulante.

 

“O que eu gostaria de fazer é o debate sobre ideias. Já estou discutindo com o grupo do PDT sobre a agenda que vamos debater para o movimento negro, população de rua, população com deficiência. Enfim, para todos os movimentos”, declarou nesta sexta-feira (14), em entrevista ao Bahia Notícias, durante a inauguração da Unidade de Saúde da Família (USF), na região de Cajazeiras.

 

Depois de aparecer nas pesquisas com intenção de votos entre 3% e 8,6% (relembre aqui), Prates afirmou que espera crescer nos próximos levantamentos. “Espero que, nas próximas pesquisas, a população de Salvador possa entender a nossa mensagem e o nosso projeto. Nos abraçar e ter um crescimento nosso dentro das pesquisas”, ressaltou.

Bahia Noticias


Banco Central indica que pode interromper ciclo de cortes na Selic

quinta-feira, 13 fevereiro, 2020

O atual estágio do ciclo econômico recomenda cautela na definição da taxa básica de juros, a Selic. Essa é a conclusão do Copom (Comitê de Política Monetária), do Banco Central, que decidiu na semana passada reduzir a Selic em 0,25 ponto percentual para 4,25% ao ano.

Em ata da última reunião, divulgada nesta terça-feira (11), o Copom afirmou ser importante observar os efeitos dos cortes já feitos na taxa Selic e indicou que pode interromper o ciclo de reduções. O atual ciclo de cortes teve início no fim de julho de 2019, com queda da taxa em 0,5 ponto percentual para 6% ao ano.

“Considerando os efeitos defasados do ciclo de afrouxamento (redução da Selic) iniciado em julho de 2019, o comitê vê como adequada a interrupção do processo de flexibilização monetária. O Comitê enfatiza que seus próximos passos continuarão dependendo da evolução da atividade econômica, do balanço de riscos e das projeções e expectativas de inflação, com peso crescente para o ano-calendário de 2021”, destacou no documento. As informações são da Agência Brasil.

Na ata, o Copom diz que dados de atividade econômica divulgados até agora “indicam a continuidade do processo de recuperação gradual da economia brasileira”. O comitê avalia ainda que há uma “dicotomia” entre a evolução do mercado de trabalho e o crescimento da produção de bens e serviços no país.

“Enquanto o mercado de trabalho segue em recuperação gradual, os dados recentes de produção industrial e os indicadores preliminares de investimento tiveram desempenho abaixo do esperado”, diz o Copom.

Por isso, “pode haver menos espaço de ociosidade (produção da economia menor do que sua capacidade) do que o mensurado por métodos tradicionais”.

Entretanto, ressaltaram alguns membros do Copom, a ociosidade dos fatores de produção ainda é bastante elevada, o que é indicado pela dinâmica dos núcleos de inflação (medida que busca captar a tendência dos preços, desconsiderando efeitos de choques temporários, como a alta recente dos preços da carne).

Na ata, o Copom avalia que os preços da carne subiram de forma mais intensa do que o esperado no fim de 2019, mas mostram reversão parcial neste início de ano. Com isso, para o Copom, as projeções do mercado financeiro de curto prazo para a inflação foram “particularmente afetadas” pela alta do preço da carne. Já as estimativas para a inflação em todo o ano de 2020 estão abaixo da meta e para 2021, ao redor da meta.

A meta de inflação —definida pelo CMN (Conselho Monetário Nacional)— é de 4% em 2020, e de 3,75% em 2021. O intervalo de tolerância para cada ano é 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo, ou seja, em 2020, por exemplo, o limite mínimo da meta de inflação é 2,5% e o máximo, 5,5%.

Para os preços administrados (regulados pelo governo, como gás e energia), há “condições benignas” devido aos reajustes menores nas tarifas de energia elétrica, informou o Copom.

No documento, o comitê ainda trata do surto de coronavírus, que, se prolongado ou intensificado, pode levar a economia mundial a uma desaceleração adicional, com impacto sobre os preços de commodities (produtos primários com cotação internacional) e de “importantes” ativos financeiros (ações, câmbio e títulos, entre outros). A China é epicentro do surto de coronavírus que tem se espalhado pelo mundo. No Brasil, não há casos confirmados.

“O Copom concluiu que a consequência desses efeitos [do surto sobre a economia mundial] para a condução da política monetária [definição da taxa Selic] dependerá da magnitude relativa da desaceleração da economia global versus a reação dos ativos financeiros”, afirmou o Copom. (FolhaPress/SNG)

http://www.jb.com.br